Rádio 6970

HF-AUTO RÁDIO LIDER FM

BEM VINDOS AO RODELÃO6970

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

RODELÃO6970 É CULTURA

O dia em que o rádio deixou um país em pânico

Quadro 'O rádio faz história' mostra primeira parte do especial sobre o programa 'A Guerra dos Mundos' de Orson Welles





Baixar áudio



O radialista e cineasta Orson Welles, autor de "Guerra dos Mundos". Domínio Público / CC0 / Wikimedia Commons

O programa de maior repercussão na história do rádio foi a 'Guerra dos Mundos', veiculado no dia 30 de outubro de 1938, um domingo.

A criação foi de Orson Welles (1915-1985), que tinha apenas 23 anos de idade quando passou a dirigir o programa de teatro radiofônico chamado Mercury Teatre on the Air (Teatro Mercury no Ar) da rede de emissoras norte-americanas CBS. Naquela data, ele decidiu adaptar para o rádio o romance clássico de ficção científica, de 1897, com o mesmo título, do autor inglês Herbert George Wells. Muito ligado ao teatro, Orson Welles tentou dar veracidade à história de invasão de marcianos na terra.




Em 1998, a entidade Associação dos Artistas da Era de Ouro do Rádio de Pernambuco encenou a Guerra dos Mundos, sob a liderança de Luiz Maranhão Filho. O CD com a encenação foi encartado no livro "Rádio e Pânico - a Guerra dos Mundos 60 anos depois", organizado pelo professor de Comunicação Eduardo Meditsch, de Santa Catarina. No livro, especialistas em ciência da Comunicação analisaram o impacto do programa que mais marcou a mídia no século XX.

Vamos tentar entender porque uma simples atração de rádio levou a população de Nova Jersey, Nova York e outras regiões dos Estados Unidos ao pânico. Em primeiro lugar, o mundo vivia o prenúncio da Segunda Guerra. Havia medo do ar. O nazismo estava crescendo na Europa e ninguém sabia se os Estados Unidos iriam ou não participar da guerra, o que de fato aconteceu em 1941.

Em 1938, já havia no rádio uma divisão entre os horários de notícias e os de entretenimento. Mas o jovem Orson Welles resolveu misturar as duas coisas. As técnicas radiofônicas nos Estados Unidos estavam muito mais avançadas do que no Brasil. Desde o início da atividade, em 1920, as rádios dos EUA já tinham dinheiro vindo do comércio e indústria, o que só vai acontecer no Brasil a partir de 1932.



O público que estava ouvindo o programa Mercury Teatre on the Air desde o início sabia que aquele horário era do teatro. Mas as pessoas que sintonizaram o rádio depois e, por acaso, não ouviram a apresentação do locutor, pensaram que as notícias eram reais porque supostos boletins urgentes interrompiam o programa musical.

Acharam que realmente estava acontecendo uma tragédia. Isso porque o diretor Welles ensaiou com sua grande equipe todos os detalhes. Os atores interpretaram os papéis de cientistas, prefeito, vítimas e jornalistas com muito realismo. Além disso, a sonoplastia foi estudada minuciosamente para reproduzir sons de sirenes, supostas naves espaciais aterrissando na Terra, etc.

A situação de pânico foi tomando conta da população de Nova Jersey. Muitos acreditaram nos depoimentos das autoridades. Pegaram as crianças, as joias e o dinheiro e fugiram sem rumo. Não queriam dar de cara com marcianos. Logo se formou um grande engarrafamento nas estradas. Pessoas buzinavam alucinadamente, algumas tentaram o suicídio. Não há confirmação de que alguém tenha realmente se matado.

Quando a direção da rádio viu que estava acontecendo essa confusão toda, pediu para Orson Welles parar o programa e anunciar que era tudo mentirinha. Mas o diretor não parou. Veiculou o programa até seu final.


Com colaboração da professora da PUC-RJ e jornalista Rose Esquenazi, o quadro O rádio faz história do programa Todas as Vozes desta segunda-feira (19) explica como Welles, através das 'paisagens sonoras', construiu esse cenário de medo na população e mostra trechos da versão em português produzida em 1998 pela Associação dos Artistas da Era de Ouro do Rádio de Pernambuco.

Ouça, no player, o áudio completo.

No dia 2 de novembro, Rose Esquenazi voltará a abordar o tema 'Guerra dos Mundos' no programa Todas as Vozes, com outros trechos do programa que deixou em pânico um em cada cinco ouvintes em 30 de outubro de 1938.



Todas as Vozes vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h20 às 10h, na Rádio MEC AM do Rio de Janeiro - 800 kHz, com apresentação do jornalista e radialista Marco Aurélio Carvalho.
Produtor
Marcus Aurélio de Carvalho e Marcos Leite









terça-feira, 20 de outubro de 2015

RODELÃO6970- RADIOAMADOR

  MINISTÉRIOS DAS COMUNICAÇÕES
                   
                          
                                 
ÉTICA E TÉCNICA OPERACIONAL E LEGISLAÇÃO 1996
                                                                                                                                




SEJA BENVINDO!!!


Você deu o primeiro passo para ingressar no Serviço de Radioamador e tornara-se um membro de uma grande rede de comunicação mundial: o RADIOAMADORISMO

Este material, desde que bem estudado, contribuirá para sua aprovação nos testes para obtenção do certificado de Operador de Estação de Radioamador (COER) e Licença de Estação.
Os Radioamadores são pessoas que utilizam faixas de radioemissão, autorizadas especialmente para este serviço. No Brasil, eles são reconhecidos pelo Ministério das Comunicações e, no Estado de São Paulo, através da Delegacia Regional do MC-SP.

SAIBA UTILIZAR ESSA MARAVILHA

Muito mais que um simples rádio, você terá em sua casa um bom amigo que é, na veradde, UMA PORTA QUE SE ABRE PARA O MUNDO!

Ao ligá-lo, você terá a sensação de que não estará m,ais só em sua casa ou em seu carro, mas sim, em companhia de milhares de pessoas, CIDADÃOS DO PLANETA TERRA, que estão fazendo do “ar” uma verdadeira sala de visitas, onde cada um vai chegando e tomando o seu lugar. Eles podem estar perto ou muito, MUITO longe. Mas existe uma vantagem: VOCÊ PODE FALAR COM ELES! Não é extraordinário?
Você não se limita a ficar ouvindo como no rádio comum. Você pode e deve PARTICIPAR.
Chame e faça amigos.

Troque mensagens postais, selos, jornais, revistas, livros, flâmulas, adesivos, fitas cassete, video-tape, caixas de bombons, vinhos, o que você quiser.
Aprenda a falar outras línguas. Treine seu inglês com seus amigos da Inglaterra ou dos Estados Unidos. Troque informações sobre eletrônica, computação, artes ou receitas culinárias. Faça, enfim, uma das coisas mais gostosas do mundo: BATER PAPO. Sem sair de casa. Sem gastar nada.

Com o tempo, você irá acabar aprendendo muitas coisas sobre diversos assuntos. Irá falar com seus irmãos de outros estados e até outros países. A rádio-comunicação não tem limites e sua utilização fica unicamente por conta de sua inteligência, imaginação e criatividade.
Muitas vezes um radioamador novato, ou mesmo um veterano, pode desenvolver maus hábitos e procedimentos de operação radioamadorísticos inadequados, apenas por falta de conhecimento.
Este material visa colocá-lo em contato com esse universo, dando-lhe a chance de se tornar um verdadeiro RADIOAMADOR.

Leia com atenção e ......BONS COMUNICADOS!!!

Curso de preparo para o exame do serviço de radioamador


 .                                                      SERVIÇO DE RADIOAMADOR        .


ÉTICA
OPERACIONAL




UM POUCO DE HISTÓRIA

Em todos os campos do conhecimento humano as bases cientificas foram estabelecidas por vários cientistas e estudiosos. Muitos deles passaram a vida inteira pesquisando determinada coisa para depois nos deixar sua herança de conhecimento, herança essa aproveitada e continuada por outras pessoas. Isso aconteceu com André Marie Ampére, Aloísio Galvani, Alessandro Volta, Samuel Morse, Heinrich Hertz, Padre Roberto Landell De Moura, Guglielmo Marconi e muitos outros cientistas.

Em 1837, Samuel B. Morse inventou o telégrafo, um sistema capaz de transmitir sinais elétricos à distância que, devidamente interpretados de acordo com um código inventado por ele, o Código Morse, permitiam a transmissão de uma mensagem entre dois pontos distantes. Essa descoberta revolucionou o mundo e se constituiu na base das telecomunicações. Quando parecia que o telégrafo-com-fio seria a solução para todos os problemas da telecomunicação, surgiram os resultados das experiências de Heinrich Hertz, que demonstrou em 1888 a propagação das ondas eletromagnéticas no espaço. Ele conseguiu por em prática aquilo que James Clarck Maxwell já havia escrito na sua “Teoria Eletromagnética”.

As ondas que se propagam no espaço passaram a ser chamadas de ONDAS HERTZIANAS.

Para tentar fazer justiça a um brasileiro de Porto Alegre, Padre Roberto Landell de Moura, antes das experiências realizadas por Marconi perto de Bolonha em 1895, já fazia espantosas experiências bem sucedidas de transmissão e recepção da voz, sem fio, a uma distância de cerca de 8 quilômetros. E onde se faziam essas experiências? Na Avenida Paulista, em São Paulo, de onde o Padre Landell conseguiu contatar o alto de Santana, nos anos de 1893 e 1894.

Em 1894, Guglielmo Marconi começou a pesquisar os princípios do rádio. Mas foi só em 1901 que ele conseguiu espantar o mundo ao fazer um contato entre a Inglaterra e o Canadá, deixando seus críticos e as pessoas céticas daquela época de queixos caídos.

A questão do registro da patente, no entanto, é que mudou o rumo da hist’roia oficial, legando glória a Marconi e esquecimento ao Padre Landell de Moura. Informe-se a esse respeito e você também passará a sentir orgulho desse genial brasileiro.

Até hoje, muita gente se surpreende coma facilidade de comunicação do Radioamadorismo, que além de proporcionar lazer e alegria aos seus usuários, ainda presta serviços de emergência para o bem da comunidade.


ÉTICA OPERACIONAL

Os princípios éticos são a base de um radioamadorismo sadio, fraterno e construtivo e visam proporcionar a harmonia e o entusiasmo humano.

Lembre-se que o radioamadorismo é um contínuo processo de aprendizado. Nós aprendemos através de instruções, e os conhecimentos abaixo fornecerão princípios básicos para uso consciente de nossa QRG.

1.   O coordenador da Rede ou Rodada é o responsável pelo fato de ser a mesma conduzida de maneira ordenada e cortês e que não perturbe outros comunicados.

2.   Nenhuma rede ou operador individual tem o direito exclusivo a uma freqüência específica, a menos que esteja conduzindo tráfego de emergência. O uso pertence aquele que a está ocupando no momento.

3.   Não interrompa no meio de uma conversação, se você pretende fazer uma chamada a outra estação ou pretende juntar-se ao grupo, ou rodada. Espere, ao menos, até que o câmbio da estação que está com a palavra termine e, só então anuncie seu indicativo de chamada depois que a estação que estiver falando desligar o PTT ou VOX. O uso do “break” só é permitido em casos de comprovada emergência.

4.   Identificar uma estação com “BOA TARDE”, “BOM DIA”, “ESTOU CHEGANDO AÍ”, “OPORTUNIDADE”, etc., não são formas aceitáveis de identificação. Sempre provocam um retorno inútil de câmbio, que poderia ser evitado, por exemplo “BOM DIA DE QUEM”, “QUEM CHAMOU?”,  “OPORTUNIDADE PARA QUEM?” e por aí afora.

5.   Se você achar que uma nova estação que chegou à freqüência não sabe quem você é, por bom procedimento operacional e por cortesia, dê-lhe seu indicativo de chamada e nome.

6.   Mesmo que a estação que se identificou seja de seu melhor amigo, se não é sua vez de falar, não entre na QRG, não o cumprimente, não lhe dirija a palavra. Espere a sua oportunidade de falar, dentro da seqüência natural.

7.   É sinal de prática operacional deficiente deixar a freqüência “a quem de direito”, pois, normalmente gera certa confusão logo após.

8.   É extremamente desagradável desenvolver uma conversação bilateral com os demais à parte, em uma rodada.

9.   Nunca faça comentários ou observações durante a conversação dos outros. É deselegante.

10.                       Use frases elegantes em sua conversação. Evite palavreado chulo, palavras e ou jargão de sentido duvidoso e impróprio das bandas de radioamador, de forma que não venha ferir a suscetibilidade dos que estão escutando.

11.                       Lembre-se que sua transmissão está sendo ouvida por muitos radioescutas, inclusive por monitores e rastreadores de banda. Do que disser nas faixas dependerá o conceito que cada ouvinte fará do radioamadorismo brasileiro.

12.                       Não interrompa quem está falando, salvo se tiver algo muito importante a acrescentar. Interromper uma conversa é tão deseducado em rádio como pessoalmente.

13.                       Evite criticar pela faixa, ou então comentar sobre assunto de que não tem real conhecimento. A crítica pela faixa pode assumir graves proporções e causar males irreparáveis.

14.                       Não extravase sentimentos negativos pela faixa quando uma medida ou atitude dos Órgãos Diretivos não lhe agradar, ou quando uma falha administrativa causar dissabor. Procure o diálogo com sinceridade.

15.                       Evite enfileirar-se com os que, por motivos inconfessáveis, procuram tudo denegrir aviltar.

16.                       Os comunicados devem ser amistosos e compreensivos. A maneira de fazer as coisas tão importante quanto as coisas que devem ser feitas.

17.                       Ajude os menos experientes. Faça isso de uma forma elegante, desinteressada e paciente.

18.                       Guarde sigilo quanto às comunicações eventualmente ouvidas em outras faixas, que não as de radioamador.

19.                       Evite fazer crítica a outros modos de transmissão pelo fato de não se dedicar a esta ou aquela modalidade operacional.

20.                       Se você tiver necessidade de um QSO mais demorado, será demonstração de camaradagem e consideração aos demais colegas se procurar uma janela fora dos segmentos de DX.

21.                       O trote pela QRG, embora seja gozado para quem pratica predispõe a outra parte a ficar desconfiada, insegura e sempre na expectativa de um novo trote. Isso poderá fazer com que, em situações emergênciais ela não acredite naquilo que esteja ouvindo.

22.  Jamais suprima parte de seu indicativo de chamada. Somente completo ele é exclusivo.



23.                       Quando se tratar de QTC de emergência ou SOS, interrompa todo e qualquer QSO, dando prioridade exclusivamente ao operador que esta de posse do QTC/SOS na QRG.

24.                       Se você tem uma estação “poderosa” deve ser o primeiro a colaborar para que todos “tenham sua vez”. Será fácil para você aguardar o término do contato já estabelecido, torcer por ele e, depois então, caçar a figurinha. O companheiro do contato anterior vai ficar contente com o colega que teve a consideração de aguardar o término do seu QSO.

25.                       É extremamente desagradável ouvir que este ou aquele colega impediu ou dificultou o outro com QRM ou sinais de sua estação.

26.                       Faça sempre saber que você evita contatar estações que sejam violadoras habituais dos preceitos básicos de ética operacional.

27.                       Respeite as freqüências das Expedições de DX. Evite entrar em sua QRG em desacordo com as normas da boa operação e da ética radioamadoristica. Muito esforço foi previamente desenvolvido até se conseguir chegar “ao ar”. Os operadores trabalham em condições difíceis, tem que ser verdadeiros malabaristas para atender milhares de chamados do mundo inteiro. Os equipamentos, muitas vezes, ficam em cima de pedras ou mesmo no chão. Os expedicionários se alimentam à base de conservas, passam noites mal dormidas, são perturbados por insetos e, tudo isso, para proporcionar ao resto do mundo a oportunidade de faturar mais uma “figurinha” ou um novo país para o DXCC.

28.                       Não entre encima de colega que já iniciou a contestação a um CQ. Dê-lhe a chance de concluir seu contato antes que você tente seu chamado.

29.                       Antes de acessar uma repetidora, primeiro escute para familiarizar-se com as características do seu funcionamento. Para iniciar um contato comunique que você esta na freqüência, informando seu indicativo de chamada.

30.                       Faça uma pausa entre as transmissões. Isso permitirá que os outros radioamadores também comuniquem a presença na freqüência.

31.                       Respeite os responsáveis e mantenedores de repetidoras. Embora instaladas no alto de torres, edifícios e montanhas, elas não caem do céu, geralmente um grupo de pessoas se empenham para colocar este serviço à sua disposição.

32.    Os câmbios “espada” (Câmbios muito longos) podem impedir que alguém utilize a QRG, mesmo que esteja com alguma emergência.





Curso de preparo para o exame do serviço de radioamador


 .          SERVIÇO DE RADIOAMADOR        .


TÉCNICA
OPERACIONAL



TÉCNICA OPERACIONAL


Além da ética no uso do Serviço de Radioamador, é necessário que você também conheça a TECNICA OPERACIONAL. A seguir, apresentamos algumas DICAS sobre esse assunto:

1.   Antes de fazer um CQ, certifique-se de que a ORG está desocupada.

2.   Quando você contestar um CQ, sintonize seu equipamento “beat zero” na QRG do colega, a fim de facilitar sua recepção. A única exceção a essa regra ocorre no caso de operação “split”, previamente anunciada. Além disso, tenha em mente que nossas faixas estão, cada vez mais, tornando-se pequenas diante do crescente número de radioamadores.

3.   Identifique-se pelo menos a cada 5 minutos, bem como no início e fim de QSO. Estas são regras aceitas internacionalmente.

4.   A estação que, pela ordem está para usar a freqüência, é a única que deve atender a outra que chamar e se identificar num espaço entre câmbios. A razão para isso é manter a seqüência da rodada.

5.   Nunca tente transmitir “sobre” outra estação. Primeiro, porque é ilegal! E segundo, porque prejudica a todos.

6.   Se você pensa que está modulando juntamente com outra estação, desligue o PTT ou VOX e ouça para certificar-se.

7.   Se para uma estação é cedida a QRG para fazer uma chamada rápida a alguém, a conversação entre elas deve ser a mais breve possível ou ambas as estações devem mudar de QRG.

8.   A palavra “break” é estritamente reservada para tráfego de emergência.

9.   Não opere em freqüências que não lhe são permitidas.

10.                       Mantenha-se permanentemente atualizado com a legislação radioamadoristica. Tenha sempre presente os termos em que lhe foi conferido o privilégio de ser radioamador.

11.                       Não utilize as faixas para propaganda de atividade comercial, política ou religiosa. Abstenha-se também de atos que se caracterizam como mercantilização do radioamadorismo. Além de ser ilegal, sua conduta estará sendo observadas pelos companheiros.
12.                       Cada radioamador tem o direito de procurar alcançar os objetivos legalmente abrangidos pela sua licença. Contudo, tem o dever de evitar causar inconveniências aos outros.

13.                       Se há um estreito segmento de faixa que é utilizado para comunicados internacionais (DX), evite utiliza-lo para bate-papos.

14.                       Respeite os segmentos das bandas destinados às diversas práticas operacionais. Há espaço suficiente para a convivência harmônica e pacifica de todas as modalidades radioamadorísticas.

15.                       Nos bate-papos locais diários, dê preferência para a utilização das bandas baixas (40 e 80 metros) ou, então, utilize as bandas altas de VHF/UHF (50,144 e 430 Mhz).

16.                       Normalmente os comunicados a longa distância têm preferência sobre os locais.

17.                       QRM zero é coisa que não se pode pretender no radioamadorismo. Sempre haverá um ou outro QRM neste ou naquele QSO, devido ao congestionamento das faixas, o que não é motivo para descarregar na QRG frases e/ou palavras inconvenientes. Se você quiser comunicados livres de interferências, o radioamadorismo talvez não seja a opção mais adequada.

18.                       Na ânsia de faturar um QSO, evite atropelar indevidamente a QRG, ocupando-a antes da conclusão do contato anteriormente estabelecido.

19.                       Nos DX e “pile-up”, respeite a ordem natural dos QSO, evitando beneficiar esta ou aquele estação. Em casos excepcionais, essa prática poderá ser admitida apenas se a estação favorita for QRP.

20.                       Considera-se que um comunicado é válido quando as duas estações tenham trocado os indicativos e as reportagens de forma correta.

21.                       Seja breve, preciso e conciso nos contatos DX. Nos “pile-up”, então, dê o indicativo, reportagem e ... nada mais.

22.                       Jamais faça interrogatório quando contatar um indicativo especial. A única pergunta cabível é “PSE MANAGER?” ou “QSL INFO?”, para saber por intermédio de quem devemos mandar o QSL.

23.                       Em comunicado “pile-up” evite pedir informações, pois a estação DX sempre passa os dados do respectivo MANAGER.

24.                       Escute bastante antes de tentar “faturar” uma figurinha... Ao se defrontar com um “pile-up” evite oferecer o próprio indicativo sem antes saber de quem se trata e depois perguntar “PSE UR CALL?”.

25.                       Se a estação DX opera em “SPLIT” e você não tem condições de fazê-lo, esqueça a figurinha, senão ficará perturbando os outros com sua chamada sem a mínima possibilidade de contato.

26.                       As extremidades de cada faixa são usadas para comunicados mais difíceis, DX e Dxpedições. Tente sempre se lembrar disso.

27.                       Não é bom procedimento acionar várias vezes uma repetidora sem identificar-se.

28.                       Faça câmbios curtos para garantir a durabilidade do equipamento e “espaço” para os demais radioamadores.

29.                       Utilize comunicado simplex, sempre que possível. Se puder terminar um QSO em uma freqüência direta, não há necessidade de manter a repetidora ocupada e impedir os demais a utilizem.

30.                       Utilize a mínima potência necessária para manter a comunicação. Além de não forçar o equipamento, minimiza a possibilidade de acionar outra repetidora mais distante, que porventura utilize a mesma freqüência.

31.                       Muitas repetidoras estão equipadas com “autopatch” (conexão com rede telefônica) que, corretamente utilizado, proporciona muitas facilidades. Entretanto, os abusos do privilégio do “autopatch” podem levar à sua perda.


EQUIPAMENTOS

Para garantir a qualidade do Serviço de Radioamador, utilize somente equipamentos certificados e homologados pelo Ministério das Comunicações.
Da mesma forma, o sistema Irradiante (conjunto formado por antena, cabo, conectores e isoladores) é fundamental para o bom desempenho da estação, evitando interferências em outros serviços.
Em caso de dúvida na instalação, consulte um colega radioamador ou técnico especializado.

OS CÓDIGOS UTILIZADOS NA FAIXA

Os códigos existem para facilitar a comunicação.
Utilize-os quando necessário. Lembre-se que tudo o que é demais prejudica. Portanto, sugerimos que você não fique apenas falando em código ou repetindo gírias e chavões. O bom radioamador não deve se comportar como o papagaio, que só repete o que ouve, mas não raciocina sobre o que fala. Simplesmente .... CONVERSE!

FONÉTICO INTERNACIONAL, DE PAÍSES E ELETRÔNICO

A= ALFA........................................            AMÉRICA ...........................            ANTENA
B= BRAVO....................................            BRASIL ...............................            BATERIA
C= CHARLIE ..................................            CANADÁ .............................            CONDENSADOR
D= DELTA .....................................            DINAMARCA .....................            DIODO
E= ECO ..........................................            EUROPA ..............................            ESTÁTICA
F=FOX ............................................            FRANÇA..............................            FILAMENTO
G= GOLF ........................................            GUATEMALA ....................            GRADE
H=HOTEL   .....................................            HOLANDA...........................            HORA
I= ÍNDIA .........................................            ITÁLIA.................................            INTENSIDADE
J= JULIET ......................................            JAPÃO .................................   JACK
K= KILO ........................................            KWAIT ................................            KILOWATT
L= LIMA ........................................            LONDRES ...........................            LÂMPADA
M= MIKE .......................................             MÉXICO ..............................            MANIPULADOR
N= NOVEMBER ............................            NORUEGA ..........................            NEGATIVO
O= OSCAR ....................................            OCEANIA ...........................         ONDA
P= PAPA..........................................            PORTUGAL.........................            PLACA
Q= QUEBEC ..................................            QUÊNIA...............................            QUADRO
R= ROMEU .....................................            ROMA..................................  RÁDIO
S= SIERRA .....................................            SANTIAGO .........................            SINTONIA
T= TANGO .....................................            TORONTO ..........................          TERRA
U= UNIFORME ..............................            URUGUAI............................            UNIDADE
V= VICTOR ....................................            VENEZUELA ......................            VÁLVULA
W= WHISKEY ................................            WASHIGTON .....................            WATT
X= XILÓFONO ..............................            XINGÚ .................................            XADREZ
Y= YANQUE ..................................            YUCATÁN ..........................          I-GREGA
Z= ZULU ........................................            ZANZIBAR .........................           ZERO

Os códigos são necessários, porque na freqüência onde há estática e interferências, quando você pronuncia algum nome, por exemplo: MILTON, o outro operador poderá entender: NILTON. Então, você deverá “codificar” o nome Milton, assim: Mike, Índia, Lima, Tango, Oscar, November.
Portanto, utilize o Código Fonético que todo o planeta o compreenderá, mesmo se o radio-operador for de outro país. Lembre-se: esse código é internacional e conhecido por todos os radioamadores, aviadores, soldados, marinheiros e policiais, que o utilizam largamente.

OS NÚMEROS

Os números também são “codificados” de uma maneira muito simples. Quem fala “seis”, pode ser interpretado como “treis”. Então, evite essa confusão dizendo:

Zero de Negativo; Um de Primeiro; Dois de Segundo; Três de Terceiro; Quatro de Quarto; Cinco de Quinto; Seis de Sexto; Sete de Sétimo; Oito de Oitavo; Nove de Nono.
(Não estranhe. O zero é chamado de negativo mesmo).

CÓDIGO “Q” INTERNACIONAL

Este código é utilizado em todo o mundo, sendo que a cada conjunto de três letras associa-se uma idéia. Veja, a seguir, os mais usados pelos radioamadores:
QRA = Nome da estação
QRG = Freqüência
QRM = Interferência
QRN = Estática
QRT = Fim de transmissão
QRV = Estou à disposição
QRX = Aguarde
QRZ = Quem está chamando?
QSB = Variação de intensidade de sinais
QSJ = Dinheiro
QSL = OK. Confirmado. Tudo entendido.
QSO = Conversa. Comunicado. Contato
QSP = Ponte (Quando duas estações não conseguem ouvir-se mutuamente, uma terceira entra para fazer a “ponte”, ou seja, a conexão entre as duas).
QSY = Mudar de frequência
QTC = Mensagem
QTC DE EMERGÊNCIA (SOS) = Pare de falar imediatamente: será transmitida uma mensagem de emergência.
QTH = Endereço de estação ou do Radioamador
QTR = Horário
QRO = Aumentar a potência da estação
QRP = Diminuir a potência da estação

IMPORTANTE

§      Os radioamadores devem conduzir-se nas faixas com integral respeito às normas legais, sobretudo as que regulam o Serviço de Radioamador.

§      Nossas obrigações perante aos demais colegas radioamadores não se limitam apenas a dispositivos regulamentares. Mais importante é o uso do bom senso e de cortesia recíproca, ao compartilharmos as freqüências que nos são destinadas.

§      Nos comunicados em geral, e especialmente nos comunicados internacionais, procure utilizar as orientações contidas neste material, contribuindo assim para formação de uma boa imagem do Radioamadorismo Brasileiro.


§      Portanto:


RESPEITE PARA SER RESPEITADO


-     Seja leal!
-    Aja corretamente!
-     Não abuse dos códigos!
-      Não interrompa outros comunicados desnecessariamente!
-     Não atrapalhe os comunicados de emergências!
-      Seja solidário!



Afinal, assim devem ser os Radioamadores.


GLOSSÁRIO


CW = Telegrafia
CQ = Chamada Geral
DX = Comunicado a longa distância
SPLIT = Uso de freqüências distintas para transmissão e recepção
RODADA =  Comunicado em conjunto
BREAK = Interrupção
PTT = Push to talk (microfone)
VOX = Sistema de acionamento da transmissão por voz
HT = HANDLE TALK (transmissor de mão)
UHF = Freqüência ultra elevada
VHF = Freqüência muito elevada
PILE-UP = Passo em salto
MANAGER = Coordenador
PSE MANAGER (PLEASE MANAGER) = Por favor informe o coordenador
QSL INFO (QSL INFORMATION) = Informação para endereçamento do QSL
PSE UR CALL (PLEASE YOUR CALL) = Seu indicativo, por favor?




 

TEMPO