Rádio 6970

HF-AUTO RÁDIO LIDER FM

BEM VINDOS AO RODELÃO6970

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

RODELÃO6970 2017

Noruega é 1º país do mundo a parar com transmissões de rádio em FM


O desligamento começou na manhã desta quarta, na cidade mais ao norte do país, 

Sob os olhares de outras nações, a Noruega se tornou o primeiro país do mundo a tirar do ar o sinal FM nesta quarta-feira (11). O desligamento começou na manhã desta quarta, na cidade mais ao norte do país, Bodø, perto do Círculo Polar Ártico, e teve cobertura ao vivo da televisão norueguesa.

Segundo o governo, hoje, a Noruega tem 22 estações nacionais de rádio digital e ainda há espaço para outras 20. No entanto, só restam cinco estações nacionais de rádio FM neste país de 5 milhões de habitantes.

O serviço público de radiodifusão norueguês, o NRK, desligará seu sinal FM antes da concorrência. Mas este processo não será repentino: o sinal sairá do ar região por região, a partir de janeiro deste ano.

Economia

O ministério da Cultura norueguês estima que a digitalização das emissoras nacionais de rádio gerará uma economia anual de cerca de US$ 25 milhões (aproximadamente R$ 80 milhões). "O custo de transmissão de rádio nacional pela rede FM é oito vezes maior que pela rede de Retransmissão Digital de Áudio", disse o ministério em um comunicado. Isso se deve em parte pelo menor consumo de energia da transmissão digital.

A ministra da Cultura, Thorhild Widvey, elenca outras vantagens. "Os ouvintes terão acesso a um conteúdo de rádio mais diverso e plural e desfrutarão de uma maior qualidade de áudio, além de novas funcionalidades", disse ela recentemente.
Segundo Widvey, a digitalização também melhorará o sistema de resposta diante de emergências, já que a rádio digital é menos vulnerável a condições de clima extremas.

Indústria

Vários outros países da Europa e do sul da Ásia também avaliam uma transição para a rádio digital. Segundo o analista britânico James Cridland, o momento do desligamento do sinal FM na Noruega será um "momento de apreensão" para a indústria de rádio global.

"Espero que os noruegueses tenham feito o suficiente para reter a audiência e para garantir que aqueles que não tenham feito a transição para o digital o façam logo", disse.
"Quem escuta rádio pode decidir, em vez disso, passar a ouvir sua coleção de músicas ou os serviços de streaming. Se a mudança prejudicar a audiência, pode ser que outros países fiquem menos dispostos a também desligar seu sinal FM e AM."

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Diplomas da LABRE


LABRE – DIPLOMAS BRASILEIROS – REGULAMENTO
A LIGA DE AMADORES BRASILEIROS DE RÁDIO EMISSÃO – LABRE, homenageando os radioamadores em geral e como incentivo à prática de colecionar Diplomas e a prática do DX, oferece/disponibiliza os diplomas abaixo discriminados. Os Diplomas poderão ser trabalhados em Digital, SSB, CW ou Misto.
O Diploma WAB está disponível para todos os radioamadores do mundo que confirmem contato com estações brasileiras em todos os 26 ( vinte e seis ) estados da Federação e a Capital do País, Brasília ( PT2)WAB
O Diploma WAA está disponível para todos os radioamadores do mundo que confirmem contato com 45 ( quarenta e cinco) países nas áreas geográficas americanas, segundo a lista oficial de DXCC. Um deles, obrigatoriamente, terá que ser o Brasil.
O Diploma WAO está disponível para todos os radioamadores do mundo que confirmem contatos com 21 ( vinte e um ) países banhados pelo Oceano Atlântico e pelo menos uma estação brasileira situada em cada uma de suas regiões geográficas, como a seguir:
1ª Região: PP1 ou PY1;
2ª Região: PP2, PQ2, PT2 ou PY2;
3ª Região: PY3;
4ª Região: PY4;
5ª Região: PP5 ou PY5;
6ª Região: PP6 ou PY6;
7ª Região: PP7, PR7, PS7, PT7 ou PY7;
8ª Região: PP8, PQ8, PR8, PS8, PT8, PV8, PW8 ou PY8; e
9ª Região: PT9 ou PY9
Ilhas Oceânicas: PY0.
O Diploma DBDX está disponível para todos os radioamadores do mundo que confirmem contato com um mínimo de 20 ( vinte) países diferentes constantes da lista oficial do DXCC sendo obrigatoriamente um deles o Brasil. Todos os contatos devem ter sido feitos indistintamente nas bandas de 40, 80 e 160 metros.Normas gerais a serem obrigatoriamente consideradas/obedecidas e que seguem as Convenções Internacionais:Todas as estações contatadas serão estações de radioamadores funcionando de acordo com a legislação nacional e internacional, nas Bandas autorizadas e/ou licenciadas.Todos os contatos serão com estações terrestres, não sendo considerados contatos com navios ancorados e/ou aeronaves .Todos os LOGs recebidos, contendo o Aval do Diretor de Diplomas, de um Check-point ou, na falta destes, de dois radioamadores Classe A do País solicitante, serão avaliados/ conferidos pelo Diretor de Diplomas da LABRE, exatamente como forem recebidos.Todas as solicitações deverão ser enviadas ao endereço da LABRE acompanhadas de 10 (dez) selos de 1º porte pelos radioamadores brasileiros e 10 (dez) dólares americanos ou o equivalente em IRCs para os radioamadores estrangeiros. LABRE
CAIXA POSTAL 4
70275-970
Brasília, DF – BRASIL.

LABRE nos Estados


Atualizada em 04-01-2017
Correções, favor informar para webaster@labre.org.br
1—LABRE Acre (Inativa)
2—LABRE Alagoas
AL Presidente PP7SMS
AL Vice Presidente ??
AL Presid.Conselho PP7MJ
3—LABRE Amapá (Inativa)
4—LABRE Amazonas
AM Presidente PP8JM
AM Vice Presidente PP8KO
AM Presid.Conselho PP8OD
BA Presidente PY6EP
BA Vice Presidente ??
BA Presid.Conselho PY6PJN
CE Presidente PT7VD
CE Vice Presidente PT7AMJ
CE Presid.Conselho PT7YV
DF Presidente PT2GTI
DF Vice Presidente ??
DF Presid.Conselho ??
8—LABRE Espírito Santo (Inativa)
9—LABRE Goiás (Inativa)
10-LABRE Maranhão
MA Presidente PR8JJO
MA Vice Presidente PR8PM
MA Presid.Conselho PR8AL
MT Presidente PY9MT
MT Vice Presidente PY9GC
MT Presid.Conselho ??
MS Presidente PT9RF
MS Vice Presidente PT9JFM
MS Presid Conselho PT9RM
MG Presidente PY4ART
MG Vice Presidente PY4BC
MG Presid.Conselho PY4TEC
14-LABRE Pará
PA Presidente PY8ZE
PA Vice Presidente PY8GJR
PA Presid.Conselho PY8RLM
PB Presidente PR7CC
PB Vice Presidente PR7AB
PB Presid.Conselho ??
PR Presidente PY5BT
PR Vice Presidente PY5MRF
PR Presid.Conselho PY5BJ
17-LABRE Pernambuco (Delegacia)
PE Delegado PY7JN 
PI Presidente PS8RG
PI Vice Presidente PS8IL
PI Presid.Conselho PS8AS
RJ Presidente PY1PM
RJ Vice Presidente PY1PP (E-MAIL??)
RJ Presid.Conselho PY1TC
RN Presidente PS7LN
RN Vice Presidente PS7BEL
RN Presid.Conselho PS7PC
RS Presidente PY3PC
RS Vice Presidente PY3GIN
RS Presid.Conselho PY3MEL
22-LABRE Rondônia (Inativa)
23-LABRE Roraima
RR Presidente PV8DX
RR VicePresidente PV8AX
RR Presid.Conselho PV8IG
SE Presidente PP6II – (E-mail??)
SE Vice Presidente PP6FB
SE Presid.Conselho PP6SK
27-LABRE Tocantins (Inativa)
Print Friendly

3º Encontro de Radioamadores em São Lourenço da Mata


FEVEREIRO/2017
3º ENCONTRO DE RADIOAMADORES EM SÃO LOURENÇO DA MATA-PE. 
Dia 04 de fevereiro de 2017.
Local: Restaurante Bode do Mundinho
BR408 – São Lourenço (Km 101,Próximo Arena Pernambuco)
PROGRAMAÇÃO
9h às 15h  Eletroca (Feirinha de rádios)
9:30h será servido um lanche
12h Almoço self-service
14h Sorteio de prêmios e brindes
Troféu para maior caravana, 1º e 2º de outros estados.
Troféu para o Radioamador mais novo na pratica do radioamadorismo e o mais velho. (Apresentar o COER). Troféu para o Radioamador mais distante

Instalação e testes de TVA-Digital na ISS

   O Emissor de TVA Digital, no módulo Columbus da ISS (International Space Station), é instalado no dia 6 de Março de 2014. O Transmissor será alimentado por algum tempo necessário para verificação das cablagens à antena, à fonte de alimentação e à câmera de vídeo, e constatar que tudo está instalado a funcionar correctamente.

   Se todos os LEDs assinalarem “OK”, então o Emissor será considerado pronto para alinhamentos finais e será desligado até essa fase.
 
Painel frontal do Emissor de TVA-D a bordo da ISS

   O primeiro alinhamento está planeado para dia 8 de Março próximo, utilizando o Indicativo OR4ISS, e será ligado em Configuração 1 :

***  Downlink : 2.422 GHz, 2.437 GHz
***  Frequências alternativas : 2.369 GHz, 2.396 GHz
***  Tipo de sinal DVB-S (sem tabelas PMT)
***  Symbol rates: 1.3 Ms/s, 2.0 Ms/s
***  FEC : ½
***  Video PID = 256
***  Audio PID = 257
***  Antenas: ARISS 41 e ARISS 42 antenas patch no topo do Columbus
***  Potência Radiada RF : +/- 10 W EIRP
***  Video captado com uma câmera Canon XF-305

   A transmissão começará algum tempo antes da ISS estar à vertical de Matera no Sul de Itália, sobre a Estação de rastreio IK1SLD em Casale Monferrato, cerca das 13.29h UT.
Durante a passagem serão testadas várias configurações.

 IK1SLD

   Depois disso, o Emissor de TVA-D continuará ligado na Configuração 1 até aos passos seguintes de teste, planeados para Domingo 9 de Março de 2014, cerca das 12.40h UT.
   Durante cerca de 24h os sinais Digitais de TVA serão transmitidos em permanência, mas a câmera de vídeo será desligada pois é alimentada a baterias e não foram previstas substituições frequentes. Chama-se a isto o Modo “Transmissão em Blank”.

   Durante a fase 2 novas configurações serão testadas, desta vez com a Antena 43 ARISS. A Estação de rastreio de Matera prevê fazer um stream de vídeo através do servidor  http://www.batc.tv  . Possivelmente as transmissões em Blank serão feitas entre os Testes 2 e seguintes, ainda não planeados.

   Haverá notícias no Servidor da BATC (British Amateur Television Club) e reportagens de recepção são solicitadas por meio da WebPage :


Mais informação em :
Boletins ARISS-EUROPA HamTV em :  http://www.ariss-eu.org/
                                                                                                                 03.01.2017

 Os nossos SATÉLITES em órbita

 
  SATÉLITES ACTIVOS
                                                                             
  PRÓXIMOS LANÇAMENTOS 
                                               Muito em breve num lançamento único:  
FUNcube-­‐1    -­‐    Transponder    uplink    435.150-­‐435.130MHz    downlink    145.950-­‐145.970MHz    e    beacon    145.935MHz    (Netherlands)   
FirstMOVE    -­‐    Telemetry    downlink    145.970MHz    (Germany)   
VeloX    P11-­‐        Telemetry    downlink    145.980MHz    (Singapore)    
Triton    1    -­‐    Telemetry    e    DSB    transponder    downlinks    145.815    MHz    e    145.860MHz    (Netherlands)   
Delfi-­‐n3Xt    -­‐    Transponder    uplink    435.130-­‐435.150MHz    downlink    145.880--145.970MHz   &   Telemetry   e  DSB  transponder   downlinks  em   145.870MHz    &    145.930MHz    (Netherlands)   
PUCPSat    -­‐    Telemetry    downlink    145.840MHz    (Peru)   
Icube-­‐1    -­‐    Telemetry    e    DSB    transponder    downlink    145.947MHz    (Pakistan)

Planeados para finais de 2013:
   
UKube-­‐1        Linear    transponder    downlink    145.930-­‐145.950MHz,    telemetry    downlinks    em    145.915MHz    &    145.840MHz    (United    Kingdom)       
KiwiSat        FM    voice    transponder&    telemetry    downlink    145.865MHz    &    linear    transponder    downlink   145.850 -­‐145.880MHz    (New    Zealand)   
FOX-­‐1       FM    transponder    downlink    145.xxxMHz (USA)  Amsat-­‐NA 
  
                A agendar:   

ESEO        DSB    transponder    downlink    145.xxxMHz    (ESA)   
CAS-­‐2    -­‐    CW    telemetry    beacon    145.990MHz,    AX.25    digital    telemetry    beacon    &    voice    beacon    145.815MHz,        Linear    transponder    downlink    145.850    -­‐145.900    MHz,    (China)    
Nanosatc-­‐BR2    -­‐    Telemetry    e    DSB    transponder    downlink    145.865MHz    (Brazil)   
DynaCube        Telemetry    downlinks    em    145.840    &    145.980MHz    (South    Africa)   
MaXValier    -­‐    Telemetry    downlinks    em    145.860    &    145.960MHz    (Italy)   
Duchifat-­‐1  -­‐ APRS    downlink    145.825MHz    mais   DSB   transponder     downlink    145.980MHz    (Israel)   
CAMSAT BUAA SAT1  FM  voice transponder  downlink  145.875MHz,    telemetry    downlink  145.950MHz    e    CW    beacon    145.835MHz    (China) 
                                                                                                                                                                          18.05.2013

INTERNATIONAL SPACE STATION - ISS

            
Frequências da ISS
FM VOZ para a Região 1: Europa-Middle East-Africa-North Asia
Downlink 145.800 MHz
Uplink 145.200 MHz
FM U/V VOZ Repetidor (Todo o Mundo)
Downlink 145.800 MHz
Uplink 437.800 MHz
FM V/U with PL VOZ Repetidor (Todo o Mundo)
Downlink 437.800 MHz
Uplink 145.990 MHz with 67.0 Hz PL
FM L/V VOZ Repetidor (Todo o Mundo)
Downlink 145.800 MHz
Uplink 1269.650 MHz
AX.25 1200 Bd AFSK Packet Radio (Todo o Mundo)
Downlink 145.825 MHz
Uplink 145.825 MHz
FM SSTV downlink (Todo o Mundo)
Downlink 145.800 MHz
UHF Simplex (Uso raro)
Downlink 437.550 MHz
Uplink 437.550 MHz 

As frequências habitualmente utilizadas

                                     
 FREQUÊNCIAS USUAIS DOS MEMBROS do G.R.C.  
      
        HF ----->      3,700 MHz  (J3E-L)
                             3,750 MHz  (J3E-L) **
                             7,065 MHz  (J3E-L)
                             7,085 MHz  (J3E-L) **
                           14,300 MHz  (J3E-U) **
                           18,160 MHz  (J3E-U)
                           28,800 MHz  (J3E-U) **                          
                           29,600 MHz    (F3E)
       VHF ----- >    144,305 MHz    (J3E-U)
                              144,725 MHz **   (F3E)  Frequência Secundária
                              145,400 MHz **   (F3E)  Frequência Primária
                              145,425 MHz       (F3E)  Frequência Alternativa e Field Days
                              145,500 MHz       (F3E)  Frequência em Móvel
       UHF ------>    434,400 MHz **   (F3E)
                              432,212 MHz     (J3E-U)
                              432,350 MHz     (J3E-U)  Talkback MW e TV
       UHF (H) --->    1295,000 MHz **   (F3E) 
       TVA --------->    1252,000 MHz (L-HP**   10,380 GHz (LHCP)
       CBand ----->    27,055 MHz (AM)   Canal-8  Citizen Band
                                                                                                             **  uso frequente

O FIM DAS ONDAS CURTAS !

                     
... PELA SAÚDE DA ONDA CURTA ...
PLC, NÃO, OBRIGADO !!!

Evolução do Ciclo Solar

Frequências Internacionais de Emergência em H.F.

 USB        4.125 MHz    6.215 MHz    8.291 MHz    12.290 MHz    16.420 MHz

Previsão Ionosférica em HF




Rodelão6970


                                                                           
Rodelão6970(c) 2017 All Rights Reserved

domingo, 6 de novembro de 2016

sábado, 5 de novembro de 2016

Dia do Radioamador

Nascimento21 de janeiro de 1861
Porto Alegre
Morte30 de junho de 1928
Porto Alegre
Nacionalidadebrasileiro
Ocupaçãopadre e inventor
Foto de Landell de Moura tirada em 1908.

Se você tem alguma matéria a respeito de nosso patrono, envie para a Rodelão6970, teremos o maior prazer em divulgar.
O padre-cientista que inventou o futuro
Longe dos centros de ciência, Roberto Landell de Moura inventou o rádio, concebeu a TV e previu as comunicações interplanetárias
Antes do italiano Guglielmo Marconi (1874–1937), um brasileiro transmitiu pela primeira vez no mundo a voz humana à distância através de uma onda eletromagnética. No início do século XX, quando o telégrafo sem fio era a tecnologia mais avançada nas comunicações, ele projetou a transmissão de imagens (televisão) e textos (teletipo). Também foi um dos pioneiros no desenvolvimento do controle remoto pelo rádio, entre outras descobertas notáveis.
Roberto Landell de Moura (1861-1928) realizou experiências públicas de radiocomunicação para angariar patrocínio e desenvolver comercialmente os seus aparelhos. Patenteou inventos no Brasil e nos Estados Unidos. Não recebeu nenhum apoio de autoridades ou empresários.
Padre Landell foi ignorado e perseguido; destruíram seus aparelhos porque se cochichava que ele “se comunicava com o demônio”. Trabalhou sozinho, com escassos recursos, dividindo as atividades científicas com as religiosas. Inventou, projetou, construiu peças originais e montou máquinas complexas. Entrou, no entanto, para a galeria dos cientistas injustiçados e até hoje é pouco conhecido.
A sua genialidade científica brotou nos primeiros anos da República, justamente quando o Estado e a Igreja se divorciaram. E as ideias científicas e positivistas se espalharam, distanciando-se do pensamento católico. Alheio à transformação cultural, ele quis unir a religião e a ciência: “Eu vi sempre nas minhas descobertas uma dádiva de Deus.” (1924)
Além de incompreendido na dimensão de padre-cientista, pagou o preço de viver numa sociedade de tradição colonial e de dependência. A cultura brasileira de então “não se sentia atraída pela experimentação, chave mestra da ciência, e ficava pouco à vontade frente às questões tecnológicas”, segundo Shozo Motoyama (“Prelúdio para uma história: ciência e tecnologia no Brasil”, Edusp, 2004).
Roberto nasceu no centro de Porto Alegre, em 21 de janeiro de 1861. Na infância, ficou impressionado com as manchas da Lua, o abatimento moral dos pobres e as coisas científicas. Na adolescência, gostava de ler Telêmaco – uma releitura do épico de Homero (VIII aC) – e as composições poéticas. Também demonstrou interesse pelos conceitos filosóficos, a mecânica celeste e as ciências físicas e químicas. Elaborou composições químicas: uma para extrair a cárie dos dentes.
Aos 16 anos, construiu um telefone! Não se sabe como era esse aparelho. Mas se sabe que isso ocorreu em 1877, quando o invento de Graham Bell (1847-1922) tinha apenas um ano de vida. Por ordem do imperador Dom Pedro II (1825-1891), o telefone chegou ao Brasil naquele mesmo ano.
Roberto estudou num ambiente pouco propício para a sua latente vocação científica. Até o final do Império, predominou o desinteresse pelas ciências. O ensino era quase que exclusivamente literário, livresco e retórico. O destino, porém, auxiliaria no progresso da sua formação.
Com o irmão Guilherme (1863-1928), decidiu seguir a carreira religiosa. Os dois foram para Roma e se matricularam, em 22 de março de 1878, no Colégio Pio Americano. Roberto aproveitou a oportunidade para estudar física e química na Universidade Gregoriana.
Endividado pela longa estada na capital italiana, Roberto foi ordenado sacerdote em 28 de outubro de 1886. Na Europa, germinaram as primeiras idéias da teoria sobre a “Unidade das forças físicas e a harmonia do Universo”, que nortearia as suas futuras descobertas e invenções.
Regressando ao Brasil, peregrinou pelo Rio de Janeiro, Porto Alegre, Uruguaiana e Santos. Por volta de 1893, viajou para a capital da nascente República, para pedir subvenção à Igreja para a realização de experiências com ondas de rádio. A resposta negativa o entristeceu, mas ele não desistiria.
Em Campinas, então com 20 mil habitantes, onde foi pároco entre 1894 e 1896, deduziu: “Todo movimento vibratório que até hoje, como no futuro, puder ser transmitido através de um condutor poderá ser transmitido através de um feixe luminoso; e, por esse mesmo fato, poderá ser também transmitido sem o concurso desse agente.
Logo, definiu o postulado maior: “Dai-me um movimento vibratório tão extenso quanto a distância que nos separa dessas outras terras que rolam sobre as nossas cabeças ou sob nossos pés, e eu farei chegar a minha voz até lá.
Apesar das dificuldades de toda ordem, o jornalista Ernani Fornari (1899-1964), que conheceu o Padre Landell, assinala no livro “O incrível Pe. Landell de Moura” (Ed. Globo, 1960), que as suas primeiras experiências de transmissão e recepção sem fio foram efetuadas entre os anos de 1893 e 1894.
No século XIX, o uso da eletricidade revolucionou as comunicações. Samuel Morse (1791-1872) patenteou o telégrafo com fio em 1837 (essa tecnologia chegou ao Brasil em 1852). O invento mudou a forma de vida no planeta: transformou as comunicações, acelerou o tempo dos negócios e apressou a circulação das notícias. Em 1876, surgiu o telefone com fio, de Graham Bell.
Três anos antes, James Clerk Maxwell (1831-1879) previu a existência de ondas eletromagnéticas, as quais foram comprovadas, experimentalmente, por Heinrich Hertz (1857-1894) em 1888. Havia, no mundo científico, a idéia de que sinais poderiam ser transmitidos sem o intermédio de fios. Mas não se sabia como…
Utilizando o oscilador de Hertz, a antena de Popov (1859-1905) e o coesor de Branly (1844-1940), Marconi rompeu essa barreira em 1895, ao transmitir sinais radiotelegráficos a uma centena de metros. Nos anos seguintes, dedicou-se a aperfeiçoar o telégrafo sem fio, aumentando as distâncias das transmissões.
Enquanto Marconi concentrava os seus negócios na transmissão de sinais em código Morse, Padre Landell ia além. Algumas das suas experiências foram registradas em jornais, como em O Estado de S. Paulo, de 16 de julho de 1899.
No domingo 3 de junho de 1900, em São Paulo, uma cidade de comerciantes e diversas indústrias, com 250 mil habitantes, iluminada a gás e a luz elétrica, com bondes de tração animal, Padre Landell fez novas experiências. Do alto de Santana à Avenida Paulista, provavelmente do pátio do atual Colégio Santana a um ponto onde hoje está o Colégio São Luís, numa distância aproximada de 8 km, em linha reta. Conforme está registrado no Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro (10/6/1900), as experiências “coroadas de brilhante êxito” foram testemunhadas, entre outras pessoas, pelo cônsul britânico, Percy Charles Parmenter Lupton, tio de Charles Miller (1874-1953), introdutor do futebol no Brasil.
Padre Landell obteve patente no Brasil, em 9 de março de 1901, para “aparelho destinado à transmissão fonética à distância, com fio e sem fio, através do espaço, da terra e do elemento aquoso”. Mesmo assim, ele não logrou nada consistente. Decidiu, então, viajar para os Estados Unidos em meados daquele ano. Em outubro, protocolou seus inventos no United States Patent Office, em Washington D.C.
Nos EUA, Padre Landell passou necessidades econômicas e adoeceu. Com firme determinação conseguiu atender todas as rigorosas exigências dos norte-americanos e, finalmente, em 1904, obteve três patentes: Wave Transmitter, Wireless Telephone e Wireless Telegraph.
No final de 1904, retornou ao Brasil cheio de esperança. Escreveu ao presidente da República, Rodrigues Alves (1848-1919), solicitando dois navios para fazer uma demonstração dos seus inventos. Novamente, foi ignorado em seu próprio país. Julgaram que se tratasse de um louco.
Quando ele lutava desesperadamente para patentear seus inventos nos EUA, a telegrafia sem fio começava a se espalhar pelo Hemisfério Norte. Em 1903, a Marinha brasileira começou a estudar a implantação da radiotelegrafia, comparando as ofertas comerciais existentes. A primeira mensagem do gênero foi transmitida no país em fevereiro de 1905, com tecnologia importada da Alemanha. Naquele instante, retomando suas funções religiosas em Botucatu (SP), Padre Landell já sabia como transmitir não só sinais à distância sem fios, mas a voz humana, sons musicais, o tic tac de um relógio…
Em suas patentes, Padre Landell recomendou o emprego das ondas curtas para aumentar a distância das transmissões. Em 1904, essas ondas não eram consideradas por outros cientistas. Marconi só reconheceria as suas vantagens em 1916. Também transmitiu, pela primeira vez, em ondas contínuas (usadas até hoje), que são superiores às ondas amortecidas adotadas nos primórdios das radiocomunicações por outros cientistas.
Na transmissão de mensagens pela luz, o padre-cientista utilizou o mesmo princípio que aperfeiçoou as comunicações modernas, empregando-se o laser e as fibras ópticas.
Quanto à transmissão da voz humana pelo rádio, consta que, em 23 de dezembro de 1900 (seis meses após a última transmissão do Padre Landell em São Paulo), o físico canadense Reginald Fessenden (1866-1932) enviou uma mensagem audível para seu assistente. Fessenden patenteou o invento nos EUA, em setembro de 1901 – e Landell, no Brasil, seis meses antes. As primeiras experiências desse gênero, de Marconi, aconteceram em 1914.
Padre Landell planejou voltar aos EUA para desenvolver novos projetos de invenções e comercializar as patentes obtidas. Mas foi, segundo suas próprias palavras, “forçado” a abandonar os estudos e a promissora carreira de inventor. Manuscritos comprovam que, em 1904, ele projetou a televisão, batizada de “The Telephotorama ou A visão à distância”. A primeira transmissão pública de TV só aconteceu em 1926. O teletipo imaginado por Landell foi inventado em 1928. Enveredando por outras áreas, descobriu a bioeletrografia ou fotografia Kirlian em 1907, décadas antes dos soviéticos.
À frente de sua época, Padre Landell poderia, se tivesse recebido o apoio devido na hora certa, ter alinhado o Brasil às nações detentoras de tecnologia de um setor de ponta.

“Uma pergunta patriótica”

Quem foi que inventou a telefonia sem fio? A telefonia sem fio, tanto a acústica como a ondulatória luminosa e elétrica ou magnética, foi o autor destas linhas (…), que também é autor de muitos outros aparelhos elétricos. O que foi Santos Dumont para a navegação aérea, foi o autor dessas linhas para a transmissão sem fio tanto do sinal inteligente como da palavra articulada. Santos Dumont está bem, porém o seu colega contemporâneo vive esquecido porque cometeu um crime, o de querer sair da sacristia para mostrar ao mundo que a religião nunca se opôs ao progresso da humanidade.
O desencanto desse texto escrito pelo Padre Landell só é consolado por outra reflexão, de 1924: “Sempre trabalhei para o bem da humanidade. Folgo em ver realizado, na prática utilitária, aquilo que foi o meu sonho de muitos dias, de muitos meses, de muitos anos.
Padre Landell morreu no anonimato, no dia 30 de junho de 1928, em Porto Alegre. Duas réplicas do transmissor de ondas foram construídas, na capital gaúcha, e funcionam, ratificando a sua criatividade.
Se não fossem os esforços isolados de alguns admiradores e radioamadores, como Alda S. Niemeyer, de Blumenau, que divulgou os feitos do brasileiro na Alemanha, e de Arnaldo Nascimento e Murillo de Sousa Reis, que publicaram livro em Portugal (Subsídios para saldar uma dívida), Padre Landell seria apenas uma sombra na história.
O governo brasileiro reconhece Santos Dumont (1873-1932) como o “pai da aviação”. Está pendente o resgate oficial dos méritos do “pai do rádio” e pioneiro das telecomunicações. Padre Landell é  patrono dos radioamadores brasileiros.



HAMILTON ALMEIDA é jornalista e autor dos livros “Padre Landell de Moura: um herói sem glória” (Editora Record, 2006) e “Pater und Wissenschaftler” (Debras Verlag, 2004, Deutschland)

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

RODELÃO6970





Cabo Balanceado vs Não-Balanceado




















Conexões não-balanceadas empregam dois condutores: um no potencial do aterramento e o outro conduzindo o sinal. Os equipamentos que operam em nível de-10 dBV quase sempre usam conexões não-balanceadas. Conexões balanceadas empregam dois condutores, cada um conduzindo o mesmo potencial de sinal, mas com polaridade invertida em relação um ao outro. A conexão balanceada pode ter ou não uma referência de aterramento. Se não tiver, é chamada de conexão “flutuante”. Uma conexão balanceada com referência de aterramento requer três condutores, sendo o terceiro o potencial de aterramento (uma conexão flutuante pode também terum terceiro condutor, mas ele é usado como blindagem e não como potencial deaterramento).
OBS.: O termo “push-pull” também tem sido usado para descrever uma saída balanceada, mas é mais adequado para descrever o tipo de saída de amplificadores de potência, e não circuitos de sinal de linha.
Por que usar conexões balanceadas?

Particularmente em sistemas de sonorização, ou em sistemas complexos de gravação e radiodifusão, as conexões balanceadas são preferenciais porque elas são bem menos suscetíveis a captação de interferência. Os equipamentos profissionais que operam em +4 dBu usualmente (mas nem sempre) possuem entradas e saídas balanceadas. Conexões não-balanceadas podem operar muito bem em sistemas deáudio de pequeno porte, ou em sistemas fixos (permanentes), onde os problemas deloops de terra podem ser eliminados de uma vez, e esquecidos. Em sistemas desonorização portáteis, é melhor evitar conexões não-balanceadas.
Entradas balanceadas com e sem transformadores

Muito freqüentemente. equipamentos profissionais modernos usam acoplamento direto (e não transformadores). A entrada balanceada com acoplamento direto muitas vezes é chamada de “entrada diferencial”. Uma das desvantagens dos circuitos diferenciais é que eles podem não estar “flutuantes”, e por isso às vezes é preciso adicionar transformadores auxiliares para eliminar o ruído induzido (devido aos loopsde terra ou a níveis muito altos de sinais de ruído). As entradas (e saídas) balanceadas algumas vezes são implementadas usando um transformador, que pode ou não possuir um tap central. Quando presente, o tap central em geral não deve ser aterrado. A presença de um transformador não garante o balanceamento do circuito; uma conexão não-balanceada pode estar acoplada por transformador, e uma saída balanceada pode ser desbalanceada se conectada à uma entrada não balanceada.
Como interconectar vários tipos de circuitos?

A natureza da saída ativa determina o tipo de cabo que deve ser usado quando aquela saída balanceada é conectada a uma entrada não balanceada. Usualmente deve ser empregado um cabo blindado com dois condutores, permitindo ao cabo permanecer razoavelmente balanceado até a entrada do equipamento não-balanceado. Isso realmente ajuda a cancelar o ruído porque a blindagem drena o ruído para o terra, e não é ela quem conduz o sinal. A resistência finita da blindagem faz com que seja diferente aterrar a blindagem e a parte baixa do cabo na entrada não-balanceada do que aterrá-los na saída do equipamento balanceado.
O balanceamento faz com que a transmissão seja mais limpa, sem ruídos, mesmo a grandes distâncias. Só para comparar, tenho um cabo balanceado com 250 metros decomprimento e o som de um microfone dinâmico chega limpíssimo do outro lado. Cabos balanceados são sempre de dois condutores interna + malha de terra e exigem conectores também de três pinos (XLR ou P10 TRS – o “P10 estéreo”).
Quais conectores usar?

Temos em geral o tipo mono (um condutor e blindagem) e o estéreo (dois condutores e blindagem). Geralmente, não há a escolha quanto ao tipo de conector a usar, pois os equipamentos já determinam isso. Em alguns casos, pode-se ter alternativas, como com conectores de 1/4?, que podem estar disponíveis para dois ou três condutores. É preciso saber previamente, antes de efetuar as conexões. No mercado, há conectores bem feitos, com baixa resistência de contato (e pouca tendência em desenvolver uma resistência a longo prazo), e mal feitos. Eles podem estar bem firmes no cabo, com blindagem e condutores internos bem soldados, e o cabo bem preso à braçadeira do plug. E podem também ser construídos com pouca atenção a esses detalhes. Consulte o vendedor sobre as características construtivas do cabo, e você se certificará de que, no longo prazo, será mais econômico não comprar o cabo mais barato. Além disso, é possível usar vários tipos de cabos com um determinado conector, e por isso você poderá encontrar cabos melhores ou cabos não tão bons para uma mesma aplicação. O que faz tudo isso complexo é que o “adequado” depende da natureza dos circuitos de entrada e de saída que estão sendo interconectados.
A importância de um bom cabo

Um cabo possivelmente custa menos do que qualquer outro componente do sistemade sonorização (exceto os multi-cabos – “snakes” – que de fato são caros). Claro, pode-se ter dezenas de cabos num único sistema, e o custo até chegar a um valor razoável. Ruídos de “hum”, perda de sinal, ou falhas nas saídas por causa de curto-circuito, tudo isso pode ser causado por um cabo. Nunca tente economizar dinheiro nos cabos. Todo fio é diferente, assim como nem todos os conectores são feitos da mesma forma. Mesmo que o diâmetro final, calibre do cabo e a montagem em geral seja similar, dois cabos podem ter propriedades elétricas e físicas diferentes, tais como resistência, capacitância e indutância entre condutores, flexibilidade, densidade deblindagem, durabilidade, capacidade de suportar esmagamento, dobramentos, tração, fricção, etc. Os cabos de microfone devem sempre ter braçadeiras amarrando-os aos plugs. A melhor blindagem que se pode ter em instalações fixas (permanentes) ou dentro de racks é a blindagem por folha, mas esses cabos não são particularmente fortes e a blindagem se deteriorará caso eles sejam muito flexionados. As blindagens trançada e enrolada são mais usadas em cabos de microfone e de instrumentos. A trançada é preferida porque a enrolada tende a se abrir quando o cabo é flexionado, o que não só degrada a densidade de blindagem, mas também causa ruído no microfone. Se a capacitância do cabo se altera quando este é flexionado, isso pode modificar o nível de ruído induzido. Esse é o maior problema com a alimentação “phantom power” em cabos de microfone, embora isso possa ocorrer em qualquer cabo, e é algo que ninguém deseja num sistema de sonorização. Pode-se evitar esse problema usando-se cabos com material dielétrico (isolante) estável, e com uma blindagem bem trançada que esteja bem presa ao plug, de forma que não ocorram aberturas na blindagem quando o cabo é flexionado. Os cabos de microfone e deinstrumentos costumam ter plugs com uma capa de borracha, que dá uma boa pegada e é flexível numa faixa ampla de temperatura. Também se usa para isso vinil deboa qualidade. Alguns cabos com um condutor e blindagem parecem similares aos cabos coaxiais usados para sinal de TV e rádio (ex: RG-58, RG-59), mas existe uma diferença maior. Os cabos coaxiais para uso com rádio-freqüência (RF) geralmente possuem condutor central rígido (ou condutor feito com poucos fios grossos), e sua capacitância é bem diferente da dos cabos de áudio O cabo coaxial também é menos flexível, por isso não use cabos de RF para aplicações de áudio.
Cabos sem blindagem e cabos para caixas acústicas.

A blindagem adiciona capacitância, massa, peso e custo a um cabo, e por isso algumas pessoas tentam evitá-la. Isso é aceitável no caso de linhas telefônicas, mas jamais considere a possibilidade de usar cabos sem blindagem para microfones ou instrumentos.
Nas caixas acústicas, o nível de sinal é tão alto que o ruído eletromagnético é insignificante e por isso pode-se usar cabos sem blindagem. Na verdade, cabos blindados em caixas acústicas apresentam uma reatância maior e podem induzir a oscilações parasitas!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Manuais de equipamentos em Português

                                                                RODELÃO 6970 QAP 6970 LSB





Eu recebo muitos e-mails de colegas pedindo manuais de equipamentos em português. Anteriormente, eu publiquei links para diversos manuais em português. Infelizmente, muitos dos links publicados não estão mais disponíveis. Por isso resolvi criar um repositório de todos os manuais que possuo.



Para acessar clique no link:

 
 
Contribuições de novos manuais, sempre são bem vindas. Se você quiser contribuir com algum material, por favor, entre em contato.
 
 
 Lista dos Manuais:

RÁDIO ELETRICIDADE TESTE DE AVALIAÇÃO

TÉCNICA E ÉTICA OPERACIONAL

LEGISLAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÃO

MANUAL ANTENA DXV8

MANUAL DAS ANTENAS

YAESU FT 817ND PORTUGUÊS

YAESU CPU-2500R

YAESU FT 1500M

YAESU FT - 2800M EM PORTUGUÊS

YAESU FT - 897D PORTUGUÊS

YAESU FT - 857D PORTUGUÊS

YAESU FT - 227 R

YAESU FT - 101ZD

Manual FT 3000 PU2PDZ.pdf

YAESU FT - 8000

IC_2820H PORTUGUÊS.pdf

IC- 2720 PORTUGUÊS

IC 2000H

TMV7

Manual_TS_2000 PORTUGUÊS

IC-718 EM PORTUGUÊS

TS- 440

TS 570S PORTUGUÊS

tr9000

RANGER

FT - 1500

TM_261A_Manual PORTUGUÊS

Manual th22

MANUAL IC-V80 PORTUGUÊS

KENWOOD 731

ICOM IC-2100 PORTUGUÊS

FT-8800R EM PORTUGUÊS

ICOM IC-R2

IC2AT

NOVOS

MANUAL BAOFENG UV-5R DISPONIBILIZADO POR EVANDRO LOPES PU1WCP

MANUAL AP73 MOTOROLA

VX-8R PORTUGUÊS

MANUAL IC-2200

MANUAL FT-1802M PORTUGUÊS

FT-2600

DELTA209


DELTA 500 PORTUGUÊS

GM300

IC- V8000 PORTUGUÊS

IC-271H

IC-V85

IC- 2200 PORTUGUÊS

FT-840 PORTUGUÊS

FT-817ND

IC-725 PORTUGUÊS

IC-R3 PORTUGUÊS

IC-T7H

GP78 PORTUGUÊS

VX 170 PORTUGUÊS

FT-757GX2

IC-706MK2G

E OUTROS

TEMPO