Rádio 6970

HF-AUTO RÁDIO LIDER FM

BEM VINDOS AO RODELÃO6970

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

RODELÃO6970 RÁDIO AM

RODELÃO6970 AM. Nosso entrevistado é o consultor técnico da Associação, o engenheiro de comunicações André Felipe Trindade.



Trindade faz parte do Conselho Consultivo de Rádio Digital do Ministério das Comunicações (Minicom) e tem acompanhado tanto o processo de migração quanto o processo de digitalização do rádio desde o início dos trabalhos.
Confira!
Com a assinatura do decreto de migração, o modelo rádio AM será acabará?

O decreto extinguirá apenas a exploração de ondas médias em caráter local. As emissoras de caráter regional ou nacional não serão atingidas. Sendo assim, a exploração de serviços de rádio AM irá continuar, em especial, pelas emissoras do poder público.
Existiu uma atuação forte de rádios do setor público contra a migração, pois elas consideravam que iria haver uma fuga de ouvintes. Vemos que essa comparação é injusta, pois as emissoras AM comerciais dependem da receita de publicidade e faturamento e com a audiência em declínio, essa receita estava minguando.
A operação em OC continuará a existir. O futuro ainda é incerto, pois há a possibilidade de digitalização dessa faixa também, operando com uma qualidade de áudio próxima a de CD. Atualmente não vemos o desenvolvimento de outros serviços de comunicação para esta faixa.
A migração é obrigatória? 

A migração não será obrigatória. Quem quiser continuar explorando o serviço em ondas OM poderá continuar, mas acreditamos que as emissoras das capitais e outros centros urbanos irão optar pela migração. Quem não quiser, poderá continuar operando normalmente, mas deverá sofrer algumas adequações previstas no decreto.
O desligamento da TV analógica pode interferir nesse processo de migração das rádios? 
Não há nenhuma necessidade de se aguardar o apagão analógico. Pode se explorar o canal que estiver desocupado. Se formos aguardar, estaríamos amarrando a migração ao calendário de apagão analógico, cujas as datas ainda são uma incógnita.
A migração para a faixa FM estendida poderia tecnicamente ocorrer antes do fim da transmissão analógica do sinal de TV. Em São Paulo, por exemplo, o canal 5 é utilizado por uma emissora de TV. Logo, poderíamos utilizar o canal 6 para alocar algumas emissoras AM que optassem pela migração.
Porém, você acabaria beneficiando apenas algumas emissoras AM, pois ainda haveria a necessidade de mais canais nessa faixa, o que aconteceria somente com o apagão do canal 5.
Talvez a migração só ocorra com o apagão para oferecer igualdade de condições a todos. Outrossim, mesmo sem o apagão, o setor industrial poderia já começar a produção de receptores aptos a operar com a faixa FM estendida. Assim, quando ocorresse a migração, já haveria uma quantidade razoável de receptores no mercado.
Quando o radiodifusor deve solicitar a migração

Segundo o Minicom o prazo se inicia em janeiro de 2014. Entretanto, recomendo que as emissoras primeiramente façam um estudo de custos dos equipamentos necessários para a migração, bem como um novo sistema irradiante. As emissoras possivelmente deverão mudar de local de transmissão. Na frequência OM, o transmissor geralmente ficava em locais mais úmidos. Já na frequência FM, deve se procurar locais mais altos para propiciar uma maior cobertura.
É necessário que estes estudos sejam feitos para que já conste o novo local nos pedidos a serem apresentados para o Ministério das Comunicações. Melhor seria que o radiodifusor aguardasse o Ministério publicar novas portarias sobre o procedimento antes de protocolizar qualquer pedido. Possivelmente esta portaria saia nos primeiros dias de 2015.
Como ficam os custos na relação migração x digitalização? 

Os custos serão baixos se o radiodifusor adquirir um equipamento já apto para a digitalização.
Não é necessário o desenvolvimento de novas tecnologias, pois a migração para a faixa estendida é tecnicamente viável. Os fabricantes devem adaptar sua produção nos próximos meses de modo a atender a nova demanda.
Antigamente inclusive havia um forte lobby para que a migração ocorresse apenas em tecnologia digital. Hoje o Ministério considera a digitalização uma realidade distinta e que ainda está sob estudos. Ainda teremos testes de rádio digital em 2014. A digitalização, se realmente ocorrer, será depois da migração e com cronograma diferente.
O radiodifusor deverá aguardar o desdobrar deste decreto, quando o Ministério for divulgar o custo a ser pago para a exploração do canal FM. Desde o início sabíamos que haveria custo, pois o governo não daria um tratamento diferenciado entre as FM que já exploram o serviço e as novas entrantes na faixa. A fórmula de cálculo será definida futuramente pelo Ministério das Comunicações.
Quando se inicia o processo de migração? 

O calendário será de acordo com a rapidez do governo para análise dos pedidos, mas possivelmente somente em 2015, pois o radiodifusor deverá aguardar todo o procedimento administrativo e adquirir novos equipamentos.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

RODELÃO6970


DUAS MAQUINAS COM QUAL VOCÊ  FICARIA 








segunda-feira, 25 de novembro de 2013

RODELÃO6970


C O L E G A S   R A D I O A M A D O R E S


Venho desejar-lhe um FELIZ NATAL e um próspero ANO NOVO.


Espero continuar lhes atendendo na confecção do RELAY BOX - RELÉ BOX , por muito e muito anos.




Imagem inline 1


Fico grato se o amigo colocar este e-mail na sua "caixa de arquivo" para consulta futura.

Mais agradecido fico, se, encaminha-lo para um colega
que "usa" amplificador linear.


-- 
JOSÉ MOREIRA DE MENEZES 

visite o site:



( PR 7 YY - QRZ.COM ) 


Rua: Av. Hilton Souto Maior, 7701, Condomínio Extremo Oriental, Qd.07 - Lt 17, Portal do Sol
João Pessoa - PB - Brazil
CEP 58046-600

Fones: 55 (Brazil) (83) 9305 0505 (oi)
            55 (Brazil) (83) 9956 7000 (tim)

TEMPO