Rádio 6970

HF-AUTO RÁDIO LIDER FM

BEM VINDOS AO RODELÃO6970

sábado, 28 de abril de 2012

RODELÃO6970 INFORMA

RÁDIO LÍDER6970 

Ouvinte na Libéria

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA MANTER ESTE BLOG NO AR


BANCO DO BRASIL 
CONTA CC.5681-2
AGENCIA. 2244-6



RODELÃO6970 É TUDO DE BOM!!!

RODELÃO6970 INFORMA

RODELÃO6970


Antena cortina



antena cortina rotativa

A antena cortina rotativo é um dipolo, que consiste em linhas e colunas de dipolos. O número de linhas é normalmente 2, 4 ou 6; o número de colunas é geralmente 2 ou 4. A antena cortina rotativo é uma antena de alto ganho direccional, concebido para comunicações gama média e longa. Uma antena de cortina rotativa consiste geralmente em duas cortina Matrizes (uma banda de baixa e uma banda de alta) de dipolos horizontalmente polarizados com uma tela reflector colocado no meio. A matriz de banda de baixa cobre as faixas de 6 MHz, 7, 9 e 11 e da matriz de banda de alta cobre as faixas 11, 13, 15, 17 e 21 MHz (ou 13-26 MHz). O número de colunas de dipolo define a largura do feixe de azimute. Para uma matriz de 2-gama dipolo, a largura do feixe é de cerca de 50 °, para uma matriz de 4-gama dipolo em torno de 30 °. O número de linhas de dipolo ea altura do elemento com o menor acima do solo determinar o ângulo de elevação e, consequentemente, a distância do área de serviço. Uma matriz de 2 linhas de alta tem um ângulo de descolagem típico de 20 ° e é usada para comunicações de média gama, enquanto uma matriz 4 linha de alta tem um ângulo de descolagem típico de 10 ° e é usada para comunicações de longo alcance. A estrutura de suporte para um antena cortina rotativo pode ser duas torres com a antena suspenso inbetween ou uma única torre rotativa com uma subestrutura para a antena.



RODELÃO6970

RODELÃO6970 INFORMA

Antena rômbico


rhombic antena





 A antena rômbico é uma antena em forma de losango, suspenso entre 4 mastros dos 3 parâmetros de uma antena rômbica são: - l: comprimento da antena perna g : uma metade do ângulo grande interior - h: altura da antenaTodas as pernas da antena têm o mesmo comprimento, e os ângulos opostos do diamante são iguais. Os comprimentos das pernas da rômbico deve ser um número inteiro de comprimentos de onda e meio. Um desenho típico de antena rômbico seria a uma altura de entre uma meia e um comprimento de onda completa. Existem 2 versões da antena rômbica, a antena ressonante rhombic ea antena encerrado rômbico. A antena ressonante rômbico é bidirecional, enquanto a antena encerrado rômbico é unidirecional. Uma quantidade considerável de energia pode ser perdida na resistência de terminação e representa o preço que tem a ser pago para algumas características desejáveis, tais como a simplicidade de construção, largura de banda relativamente larga de operação e ganho de alta directividade.




RODELÃO6970

RODELÃO6970 INFORMA

ANTENA V INVRTIDO

inclinada V antena

A antena V inclinada é concebido para circuitos SkyWave média amplitude. A antena é direccional e destinado a ser utilizado na banda de frequências 8-30 MHz. A operação é estendida até 2 MHz com desempenho reduzido. A antena é polarizado horizontalmente para o desempenho eficiente sobre todos os tipos de solo e irá lidar com até 10 kW de potência. A antena requer um mínimo de tempo e custo de instalação e características de baixa manutenção componentes . Apenas um mastro de suporte único é necessária. A antena V inclinada é alimentado com um balun que está normalmente localizado no topo do mastro, no caso de uma linha de transmissão coaxial ou através de uma linha aberta fio alimentador. As resistências de terminação deve ser da ordem de 300 ohm.





RODELÃO6970

RODELÃO6970 HISTÓRIA


Dawn of the Age Elétrica (1600-1800)

Aurora-of-the-elétrico-age.jpg
Você já se perguntou por que suas meias ficar juntos quando eles saem do secador? Em 600 aC, os gregos antigos também foram perguntando sobre o mistério da eletricidade e que faz com que os flashes brilhantes de luz no tecido da pele que costumava polir jóias. Para os próximos 2000 anos, a electricidade é acreditado para ser um "poder mágico" proveniente de uma fonte divina.
Então, durante a Era do Iluminismo do século 18 na Europa, o renascimento da lógica e da razão inspirar curiosidade e novas questões sobre o mundo natural. Inovadores pensadores como Benjamin Franklin ansiosamente explorar energia elétrica, sendo pioneira experiências originais e muitas vezes dramática para saber mais. Velhas explicações e medos estão lentamente a superar como pensadores de todo o mundo descobrir informações sobre ele emocionante natureza da eletricidade.
Um mundo de possibilidades que nasce!
  • O fenômeno da atração elétrica estática é registrado pela primeira vez em torno de 600 aC na Grécia antiga. Permanece um mistério por mais de 2000 anos.
  • A Era do Iluminismo do século 18 na Europa promove a lógica ea razão.
  • Em 1600 dC, o inglês Dr. William Gilbert realiza primeiros experimentos científicos sobre a eletricidade estática.
  • Em 1742, Peter Van Musschenbroek dos Países Baixos elabora primeira garrafa de Leyden para armazenar eletricidade.
  • Em 1749, Benjamin Franklin, compromete primeiros estudos de eletricidade atmosférica, sua pipa voar famoso.
Descobertas-chave:
  • A electricidade estática pode ser gerado e armazenado.
  • Electricidade tem propriedades positivas e negativas.
  • Os condutores são materiais que permitem a passagem de eletricidade
  • Isolantes são materiais que bloqueiam a passagem de eletricidade.
Galeria Um Destaques:
  • "Franklin laboratório" diorama
  • Os primeiros jarros de Leyden
  • Estáticas de máquinas eléctricas
  • Roda de Barlow
  • Volta canhão

RODELÃO6970 HISTÓRIA 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

RODELÃO6970 INFORMA


Radioamadores da Belgica pagam o pato pelo impacto ambiental das ondas eletromagnéticas.


BUROGRACIA NA BELGICA ATE PARA RADIOAMADORES,E PELO VISTO DESTA NORMA FEITA POR LA A PARTICIPAÇAO DE RADIOAMADORES DA BELGICA EM CONCURSOS E DXs PELO MUNDO SERA MENOR, QUE POXA. Em um ajustamento recente da legislação II Vlarem, incluindo a padronização de antenas de transmissão é, para antenas de transmissão fixas há conformidade exige, com a condição de que o tempo de transmissão para cada transmissão de antena fixa é limitada a 175 horas por ano. Para as antenas fixas de transmissão que atendam as condições acima deve ser enviada uma notificação através do site do departamento, responsável pelo impacto ambiental das ondas eletromagnéticas. O formulário é relativamente de fácil preparo,e é precedido por explicações necessárias, para completá-la a maioria dos radioamadores nao terao nenhum problema. O formulário deve ser preenchido uma vez para cada antena transmissora. É importante notar que as antenas multibanda na legislatura da Belgica são considerados uma antena separada para cada banda.Para uma antena de 3 elementos Yagi por exemplo eles deverao preencher o formulário 3 vezes. SE ESTA MODA PEGA AQUI NO BRASIL AI E QUE SEREMOS INSTINTOS MESMO. 





RODELÃO6970

R0DELÃO6970 INFORMA



O começo da rádio e da Era sem fio (1863-1920)
A-Wireless-Age.jpg
Invenções elétricas são rapidamente colocados para uso diário, proporcionando iluminação e aparelhos que transformam o lar americano. Inventores curiosos inovar e provar que os movimentos de energia elétrica através do ar como ondas em um lago. Os cientistas trabalham intensamente para aproveitar essas ondas, com sucesso, transmitir e receber sinais de rádio em longas distâncias.Rádio sem fio recebe o seu início na indústria naval.
Mas depois do desastre do Titanic de 1912 e WWI provar seu valor, a exploração de combustível investidores de tecnologia sem fio. Hobbyists abraçar rádio, inspirando inventores amadores e emissoras para levar para as ondas. Livre de fios, o som viaja por todo o país alcançando novos públicos, o palco está montado para um rádio em cada casa.
Os sons de mudança enchem o ar!
  • Em 1862 James Maxwell hipótese de que a luz é uma onda com componentes elétricos e magnéticos.
  • Heinrich Hertz confirma esta teoria, gerando as ondas de rádio com as mesmas propriedades que a luz visível, mas com uma frequência muito mais baixa.
  • Originalmente chamado de "ondas Herzian e mais tarde" sem fio "," rádio "vem de" irradiar "porque as ondas de rádio viajam em círculos como ondulações em um lago.
  • Cruzeiro e indústria naval são early adopters de transmissões de rádio. O desastre do Titanic de 1912 demonstra importância da tecnologia de rádio.
  • Fim dos aumentos da era do Victorian uso de fonógrafos e caixas de música para entretenimento em casa e ajuda a introduzir o uso comercial de rádio.
  • Em 1906, Lee de Forest desenvolve o tubo de vácuo triodo.
Inventores e pensadores influentes:
  • Em 1880, David Hughes primeiro a produzir e transmitir sinais de rádio
  • Em 1897 Guglielmo Marconi funda a organização primeiro comercial para desenvolver rádio.
Galeria Três destaques:
  • Aparelho primeira onda Herzian
  • No início Marconi sem fio fixa
  • A sala de wireless Titanic
  • Original Collins Telefone sem fio

R0DELÃO6970

quinta-feira, 26 de abril de 2012

RODELÃO6970 INFORMA






Como funciona o rádio








Na chamada Era de Ouro do rádio durante a primeira parte do século 20, os 
americanos se reuniram em torno de seus rádios para ouvir seus programas favoritos.


O advento do transistor nas pessoas meados da década de 1950 significou poderia levar seus 


rádios com eles pela primeira vez. Um fabricante de eletrônicos chegou a fazer um nome para


 si mesmo a construção de rádios transistorizados Sony.



Transistores eram uma grande melhoria na portabilidade em tubos de vácuo, mas muita gente 


ainda favorecem os tubos de vácuo sobre tecnologia de estado sólido para o aparelho de som e 


amplificadores de instrumentos musicais.



Por um longo tempo, rádio AM, foi o único caminho a percorrer. É muitas vezes associado com o 


rock-and-roll de rádio da década de 1970. Mas as pessoas estavam começando a adotar uma nova

forma de ouvir rádio



A estação de FM primeiro foi lançado por Edwin Armstrong em 1939, mas a tecnologia não pegou

até os anos 1960. Alta fidelidade de som estéreo ajudou



Cidadãos de rádio banda era popular na década de 1970, mas ainda é popular com 
muitos, incluindo os trabalhadores de emergência, para a comunicação a distâncias 
de alguns quilômetros



Na década de 1980, as rádios ficou maior e mais alto. Povo tomou a sua música com 
eles na rua com seus mini systems


Ao contrário de AM e FM receptores, rádios de ondas curtas, como este da década de 
1950, pode receber sinais a longas distâncias. Isso fez muito popular entre aqueles 
que queriam saber o que estava acontecendo ao redor do mundo. No século 21, no 
entanto, as estações de ondas curtas estão perdendo terreno para maior fidelidade de 
rádio da Internet


HD Radio é uma forma totalmente digital de rádio que fez sua primeira aparição em 
meados da década de 2000.



Rádio por satélite decolou - com o perdão do trocadilho - na década de 2000 quando 
XM Radio e Sirius Satellite Radio começou a oferecer o serviço. Preocupações
 financeiras faria com que eles se fundir alguns anos mais tarde


RODELÃO6970 INFORMAÇÃO E CULTURA



O Rádio mais simples



By tapping the terminals of a 9-volt battery with a coin, you can create radio waves that an AM radio can receive!

O rádio pode ser incrivelmente simples, e por volta da virada do século, esta simplicidade fez experimentação precoce possível para qualquer pessoa. Como ele é tão simples? Aqui está um exemplo:
  • Dê uma de 9 volts nova bateria e uma moeda.
  • Encontrar um rádio AM e sintonize em uma área do disco onde você ouvir estática.
  • Agora segure a bateria perto da antena e rapidamente ligue os dois terminais da bateria com a moeda (para que você conectá-los por um instante).
  • Você vai ouvir um estalo no rádio que é causado pela conexão e desconexão da moeda.
Sua combinação bateria / moeda é um transmissor de rádio! Ele não está transmitindo nada útil (somente ruído), e não vai transmitir muito longe (apenas alguns centímetros, porque não está otimizado para distâncias). Mas se você usar o ruído para enviar código Morse, você pode realmente comunicar por vários metros com este rudimentar dispositivo!

RODELÃO697

quarta-feira, 25 de abril de 2012

RODELÃO6970


                      RODELÃO6970  É TUDO DE BOM!!!



RÁDIO LÍDER 6970 O SOM SEM FRONTEIRAS

RODELÃO6970

RODELÃO6970 INFORMA

RODELÃO6970





RÁDIO-AMADORES CONTATAM

 EXTRATERRESTRES AO SUL DO CHILE

Radio Chile

Várias pessoas afirmaram ter tido em contato via rádio com seres aparentemente extraterrestres que habitavam uma ilha ao sul austral do Chile. Mais de 25 fitas cassetes comprovaram essas palavras. Esta misteriosa história iniciou-se em uma noite de junho de 1984, na décima região do Chile, especificamente no farol Mitagues, localizado no canal da Moraleda. Neste lugar encontrava-se um grupo de sete pessoas, (pareciam ser da Guarda Nacional), que, atônitos observavam uma imensa bola de cor rosa pousada alguns metros sobre a água. Diante do medo de enfrentar um fenômeno desconhecido, pegaram o rádio de comunicações e começaram a pedir ajuda: Atenção norte do Chile, atenção Iquique, aqui sul austral chamando!!”
Enquanto tudo isso acontecia, em Santiago, o chamado era escutado pela família Ortiz, que têm uma emissora de 27 Mhz (faixa cidadão). Seu pseudônimo: Lucero:
“Escutamos o chamado pelo menos por uns 15 minutos, e como não recebiam resposta, ofereci-me para servir de ponte. Héctor me respondeu que era uma pessoa encarregada do grupo e diante da minha insistência me pediu para que fossemos para uma canal mais privado. Ali me contou que não sabia o que era essa luz que estava parada na sua frente. “Olhe…” me disse, “esta coisa provocou mal funcionamento nos equipamentos elétricos”.
Logo, no meio da conversa, entra no canal uma terceira pessoa, um capitão do navio petroleiro “Mysteryes”, que pedia a Héctor que avisasse o que estava acontecendo para as autoridades, pois se encontravam navegando com seus instrumentos completamente “loucos”. Após discutirem alguns minutos sobre quem deveria ser informado, Héctor retomou a conversa com a estação Lucero. Imediatamente me disse:
” – Esta coisa está crescendo e começa a se mover. Está levantando. Está vindo para cá!! Após isso foram ouvidos ruídos e gritos, que levaram a agulha do rádio até o máximo de sua potência. A transmissão interrompeu-se completamente”, disse.
Após três minutos, novamente surgiu a voz de Héctor, muito assustado:
” Essa coisa passou sobre nós. As pessoas que estavam fora estão com a pele queimada”.
No dia seguinte, uma chamada no rádio de uma mulher com nome Sílvia entregou um recado por parte de Héctor:
“Diga ao Octavio que não comente nada do que ocorreu durante a noite, porque ele corre perigo”. Essa foi a última vez que a família Ortiz ouviu falar sobre aquele misterioso personagem do farol Mitagues. Dois dias depois as chamadas misteriosas continuaram. Um capitão do barco Mitilius II chamado Alberto, começou a se comunicar nos canais australes:
Dados Geográficos do Canal Moradela
LAT: -44.4147222
LON: -73.4205556
DAT: -442453
DON: -732514
UTM: XR28
JOG: SL18-03
DSG: CHNM
MOD: 1994-11-22
CC1: CI
ADM: 00
UNI: -1320936
UFI: -892968
RCC: 1



“Me disse que haviam presenciado tudo o que ocorreu no farol Mitagues e também haviam escutado nossa conversa. Me disse que estavam fazendo experiências com o “choro zapato”, e nesta localidade tinham redes e instrumentos. O mais estranho é que depois daquela noite estes desapareceram”, explicou.
Depois Octávio viria a saber que o capitão Alberto trabalhava para o Departamento Oceanográfico da Universidade do Chile. Nasceu ali uma longa amizade entre Octávio e Alberto. Os temas chegavam cada vez mais próximos do fenômeno OVNI, tema responsável por essa “Ficamos sem conversar por 3 meses. Quando voltou a se comunicar conosco, sua voz era muito estranha, não era mais o mesmo. Me disse que aconteceram algumas coisas. Coisas muito boas. Conheci umas pessoas um pouco estranhas, não sei ao certo quem são, mas parecem ser religiosos. Me ajudaram muito economicamente. Tive que transportar equipamentos e caixas com materiais que não conheço, até a ilha onde vivem” , recorda. Esta foi a primeira vez que Octávio e sua família ouviram falar dos misteriosos habitantes da ilha de Friendship (Ilha da Amizade).
AGOSTO DE 1985
Porém, um dos fenômenos mais estranhos aconteceu no sábado 17 de agosto de 1985. Uma série de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) apareceram sobre Santiago e foram observados por mais de dois milhões de pessoas e sua aparição foi seguida inclusive por programas de televisão.
Três globo sondas – afirmavam as autoridades – passearam pelos céus de Santiago desde às 3 da tarde até altas horas da noite. Um funcionário da Nasa, mantendo o anonimato, informou através do jornal La Tercera, que aquilo que foi visto era um balão de observação meteorológica. Entretanto, a Força Aérea do Chile (FACH), do aeroporto do El Bosque, por intermédio de um controlador de tráfego aéreo afirmava o mesmo, que se tratava de um balão sonda. Entretanto, as opiniões eram divididas. A Direção Meteorológica, por intermédio de seu diretor Federico Rol, afirmava que “não havia uma explicação racional para o que aconteceu”, afirmando que não foram lançados nenhum desses aparatos e descreveu esses objetos de “aparência metálica” como algo nunca visto, afirmou o porta-voz da entidade.
Ao mesmo tempo funcionários da torre do aeroporto Arturo Merino Benítez diziam ao diário “La Tercera” que a luminosidade e aparência do objeto era “realmente estranha” e não seria um avião. O artefato seguiu na direção oeste/leste, a uma altura de 1.200 metros, descartando a possibilidade de ser uma balão sonda.
Você pode se perguntar: O que tem a ver este assunto com a ilha ao sul do Chile? Muito, porque justamente nesta hora acontecia uma transmissão entre a estação Lucero e Ariel, mudando por completo a história. “Nós estávamos tranqüilos, aproveitando o fim de semana, quando um chamado de Ariel, nos convidando a sair para o quintal e olhar para o céu. Dali conseguimos ver aquilo que todos viram neste dia. Porém o mais surpreendente: eles narravam o que acontecia com o OVNI. Os graus que se movia, tudo. Em um determinado momento pediam que um avião não chegasse muito perto”, afirmou Octavio. Haveria possibilidade deles controlarem as evoluções do OVNI? O diálogo foi gravado pela família (veja a transcrição no final da reportagem).
O motivo pelo qual estes seres habitam esse lugar ao sul do Chile é um mistério. Para alguns, são extraterrestres, recrutando gente antes do fim da humanidade. Para outros, somente uma congregação religiosa.


RODELÃO6970

RODELÃO6970 TECNOLOGIA

RODELÃO6970 O RÁDIO DIGITAL



    
Um pouco sobre o
Rádio DigitalDRM e IBOC (HD Rádio)
Em volta a tanta tecnologia moderna, o rádio de Ondas Médias, Curtas e FM na sua forma convencional e centenária,  ainda resiste firme aos atuais padrões digitais existentes. Na Europa o sistema digital adotado para o rádio é o DRM, um sistema digital aberto e livre, criado e desenvolvido por um consórcio (grupo) formado por empresas e emissoras interessadas na digitalização do rádio, já o padrão americano chamado de IBOC ou HD Radio ( Rádio de alta definição ) é um sistema fechado e proprietário neste caso tanto as emissoras como os fabricantes de rádios deverão pagar royalts a empresa que desenvolveu o IBOC, pelo direto de uso e exploração do sistema. Clique aqui e veja mais sobre IBOC
Ao contrário da TV que esta sendo rapidamente digitalizada em todo o mundo, o rádio que até então parecia ser muito mais simples de ser digitalizado do que a TV, vem encontrando barreiras principalmente nas Ondas Curtas...
Ao que tudo indica o DRM é realmente o melhor sistema digital para as Ondas Curtas, já para o FM e Ondas Médias o assunto é muito polêmico devido as variáveis existentes em cada país ou região...
O maior problema é que o rádio de pilhas se popularizou em todo o mundo e hoje podemos encontrar rádios de pilha mesmo com ondas curtas a partir de R$ 10,00. Claro que são rádios bem simples e que não atendem a qualidade de alguns ouvintes mais exigentes, mais de forma geral atendem a necessidade dos mais humildes e carentes financeiramente.

A minha opinião pessoal sobre o assunto é que o sistema digital será inicialmente mais uma opção acessível as pessoas de boa condição financeira devido aos altos custos dos equipamentos e depois com o tempo ( sabe-se lá quanto tempo...??? ) para o restantes do mortais. Devido a atual excelente relação custo benefício do sistema atual e convencional de rádio eu não consigo enxergar o fim do rádio convencional.
As vantagens da digitalização do rádio ao meu ver é proporcional as desvantagens, e isso vem emperrando ou segurando o avanço do rádio digital em todo o mundo, vale ressaltar que já a um bom tempo podemos escutar muitas das rádios normais via satélite (parabólica) dessas utilizadas para TV tanto na cidade como na zona rural e com qualidade sonora excepcional, no entanto o pessoal que gosta de ouvir emissoras distantes esta mais preocupado com a qualidade da programação do que a qualidade sonora, assim o bom e velho rádio de pilhas ainda tem a preferência nacional e é mais utilizado do que o sistema via satélite devido a sua versatilidade e praticidade, além é claro, do baixo custo.
Temos que levar em conta que as rádios (emissoras) possuem uma programação característica e distinta para cada modo, que de forma geral dividiu boa parte dos ouvintes. Eu em particular, apesar de radioescuta e dxista e de passar a maior parte do tempo ouvindo rádios de OC, também curto todas as opções que o rádio portátil possa me oferecer...
Ondas Médias - Transmissões regionais de médio alcance ( de 100 a 200Kms )  voltada a um público específico que aprecia programas jornalístico, debates, programas temáticos, futebol, programas de auditório, programas populares e etc...
FM 88-108 - Transmissões regionais de curto alcance ( de 30 a 50Kms ) voltada mais a programação musical e atualmente também jornalística. Devido a operação na faixa de VHF e o sistema de modulação por FM, o rádio de FM oferece excelente qualidade sonora inclusive com a transmissão de 2 canais ( estéreo ) o que torna o som mais agradável.
Ondas Curtas - Transmissões de médio e longo alcance ( de 100kms a milhares de kms ) estaduais, interestaduais e internacionais com programações variadas, jornalísticas, culturais e etc...
Digno de nota:
Muito se fala da qualidade sonora que o sistema digitalproporcionará ao ouvinte de rádio, mais vale ressaltar que o sistema atual e convencional também pode oferecer uma ótima qualidade de som, desde que utilizemos equipamentos de alta fidelidade (HiFi). Eu mesmo amo demais ouvir Ondas Médias no meus rádios: YAESU FRG-7700 e no GRUNDIG SATELLIT 2100, pois esses 2 rádios possuem excelente qualidade sonora e boa resposta de frequência na reprodução de várias notas ou sons graças as várias opções de filtros de seletividade além é claro da boa acústica somada a um amplificador de alta qualidade. Nesses tipos de rádio quando em FM sintonizamos uma rádio HiFi de alta qualidade como a USP, Cultura ou Eldorado, a qualidade é tão boa que até nos perguntamos o que tem ainda para melhorar acusticamente... pois o som é tão puro que como diz o ditado se melhorar estraga... risos !!!
Os amantes da música que possuem ouvidos apurados e bem definidos, dizem que o som do velho e bom disco de vinil é insubstituível, claro que neste caso temos que aplicar a mesma lógica comentada anteriormente dos equipamentos de HiFi, pois se pegarmos um excelente vinil e ligarmos numa antiga e velha eletróla portátil, o som parecerá o de uma gralha em desespero... já em um equipamento profissional de alta fidelidade teremos a sensação de estarmos no teatro municipal ouvindo a orquestra filarmônica...
Venho realizando já á algum tempo algumas escutas digitais em modo DRM por meio de rádios modificados ligados ao meu computador, recentemente utilizo um SDR ( rádio definido por software ) da RF Space modelo SDR-IQ, pois como é definido pelo programa do computador a decodificação de DRM é feita naturalmente utilizando o softawre DREAM em conjunto. O rádio SDR é uma excelente ferramenta para quem gosta dos modos digitais ( dxismo utilitário ) ou até mesmo para quem gosta de ouvir rádio com vários recursos avançados só encontrados em rádios caros e sofisticados...

SDR-IQ da RF Space
O que eu e outros amigos temos notado em relação a decodificação do rádio digital em especial o DRM, é que precisamos ter na entrada de antena do receptor, um bom e forte sinal para que a parte digital consiga ser processada ao ponto de virar som analógico novamente. Caso o sinal sofra uma pequena variação  para baixo de 12dBs ( fadding ou fadiga ) o que é muito comum nas ondas curtas, a decodificação é prejudicada e perdida e claro juntamente a informação até que o sinal seja igual ou superior aos 12dBs em média. Essa é a grande desvantagem do sistema digital utilizar as ondas curtas... no mais, quando o sinal é forte e estável o som reproduzido é de excelente qualidade podendo até mesmo ser estéreo como é o caso da HCJB GLOBAL que transmite em DRM para o Brasil  das 23:00 as 24:00 na frequência de 11795kHz.
Veja abaixo algumas escutas DRM realizadas com o SDR-IQ da RF Space:

Clique nas imagens para ampliar

  
BBC WORLD SERVICE                                             HCJB GLOBAL




RODELÃO6970 

RODELÃO6970 TECNOLOGIA

 RODELÃO6970  O RÁDIO DIGITAL VEM AI










O chamado rádio digital, assim como o rádio analógico, é um sistema de radiodifusão que utiliza o espectro eletromagnético para transmitir sons. No caso do rádio analógico, o sinal de áudio é modulado diretamente em FM ou AM. No digital, o áudio é primeiramente digitalizado e sua sequência binária é modulada por algum padrão de codificação digital para então ser transmitido pelo ar de forma muito semelhante à uma rádio analógica, envolvendo tradicionais elementos como torre e antenas.
Entre as principais vantagens do rádio digital sobre o analógico podemos citar: melhoria na qualidade do áudio, multiprogramação, transmissão de dados (textos, fotos, informações de trânsito, alertas de emergência, etc.), cobertura de uma mesma área com menor potência e a otimização do espectro eletromagnético.

Contexto

O rádio digital no Brasil começou a ser pensado e testado em meados da década de 2000. Em março de 2010, o Ministro das Comunicações Hélio Costa publicou a portaria 290 que institui o SBRD: Sistema Brasileiro de Rádio Digital, dando disposições sobre os pré-requisitos que o sistema deveria atender.

Testes

Atualmente, dois padrões de rádio digital estão sendo considerados para servir como base técnica para o SBRD: O DRM e o HD Radio.

Características dos padrões DRM e HDRadio

O DRM (Digital Radio Mondiale), em português, Rádio Digital Mundial, é um padrão de rádio digital desenvolvido por um consórcio global de nome DRM, com sede na Suíça e representações em vários países.
É um padrão “aberto”, sendo o único padrão de rádio digital reconhecido pela UIT (União Internacional de Telecomunicações) que pode funcionar em todas as bandas de radiodifusão sonora terrestre nas faixas de Ondas Médias, Ondas Tropicais, Ondas Curtas e o VHF (faixa das rádios FM).
Apresenta-se como um padrão de última geração, que começou a ser pensado em 1999 e, hoje em dia, está sendo testado em várias partes do mundo, inclusive no Brasil e já em fase de implementação na Rússia e Índia. O DRM foi criado com o objetivo de ser um padrão mundial e aberto, não de um país ou continente específico.
O HD Radio é o padrão utilizado nos Estados Unidos e desenvolvido por uma empresa chamada Ibiquity. Esse padrão não tem modo de operação para transmitir na faixa de Ondas Curtas e tem a característica de possuir segredos industriais em sua norma. Além dos Estados Unidos, apenas o México adotou recentemente este padrão.
Observando a nova “situação global”, pensamos ser importante que o Brasil aponte para uma política autônoma, interligada com as necessidades e demandas nacionais e regionais, e que traga benefícios culturais, educacionais, econômicos e geopolíticos além de fortalecer ações de descolonização, deslocando o eixo das decisões tecnopolíticas.
No que se segue, citamos os principais pontos a serem observados para essa escolha e os argumentos que tornam o DRM o melhor padrão para o SBRD.

Economia

A indústria nacional já incorporou todos os aspectos tecnológicos da TV Digital. Hoje em dia, empresas brasileiras (como a Linear) vendem mais transmissores do que a japonesa NEC em território brasileiro. Não há razão para que a implantação do SBDR com DRM, por exemplo, não siga o mesmo caminho da TV Digital. Por ser um padrão aberto, o DRM permite que possamos desenvolvê-lo totalmente em território nacional. Além disso, existem implementações da demodulação, decodificação e codificação do sinal DRM em software livre.
Possibilidades que a indústria nacional pode incorporar:
  • Fabricação de chipset para recepção DRM (inclusos AM e FM);
  • Fabricação de receptores móveis, portáteis e automotivos;
  • Integração do receptor em aparelhos celular, tablet e GPS;
  • Fabricação de moduladores, Content Servers e transmissores;
  • Fabricação de equipamentos de análises e medições.
Já na área de serviços, as possibilidades são infinitas, semelhantes às possibilidades apresentadas pela TV Digital. Dentre elas, podemos citar o desenvolvimento de aplicativos e tecnologias em educação, cultura, serviços de interesse público, publicidade e produção de conteúdo em geral, podendo ser desenvolvidos tanto pelo poder público quanto pela iniciativa privada, centros de pesquisa, universidades, e organizações da sociedade civil.
O Ginga, padrão de interatividade da TV Digital brasileira, poderia ser também adotado como o padrão de interatividade para o Rádio Digital necessitando apenas de pequenas adaptações.
Com a adoção do DRM e a participação da indústria nacional neste processo, abrem-se as portas para mercados internacionais, notadamente na América do Sul e demais países que adotarem o padrão DRM, como África e Ásia. Apenas o Brasil já contribuirá com mais de 10 mil emissoras de rádio para digitalização global. Sem dúvida alguma o rádio é o meio de comunicação mais presente no cotidiano da população.

Tecnologia

O DRM usa o estado da arte em transmissão digital. É reconhecido pela UIT e faz uso de tecnologias estabelecidas como é o caso do codec de áudio conhecido mundialmente pela sigla “AAC”. Este padrão de áudio é o mesmo utilizado no padrão de TV digital brasileira. Esse fato permite a interoperabilidade entre os sistemas de TV e o rádio digital DRM.
Proposto como padrão mundial, o DRM é o único padrão de rádio digital que transmite em Ondas Curtas e Ondas Tropicais, característica que possibilita o fornecimento de serviços com boa qualidade para áreas vastas, como faz a Rádio Nacional da Amazônia, com cobertura em todo o norte do país, por exemplo.
O sistema HDRadio, por outro lado, usa um codec de áudio que é “segredo industrial”, propriedade de uma empresa privada, inexistindo norma internacional que o descreve em sua totalidade.
O DRM possibilita a otimização do espectro de forma a permitir que mais emissoras possam transmitir simultaneamente. O DRM, assim como o HDRadio, permite a multiprogramação e a transmissão de dados digitais de qualquer natureza.
Somente o DRM tem incluso em seu sistema um módulo que pode fazer transmissão de vídeo em baixa resolução. Para a faixa de Ondas Médias (AM), o DRM permite sua revitalização através da melhoria da qualidade do áudio e da agregação de serviços. Para faixa do VHF (FM), permite todas as qualidades de um amplo sistema de rádio digital como áudio estéreo, surround 5.1, multiprogramação, já citados anteriormente.
A faixa dos canais de TV VHF (após o apagão da TV analógica em 2016) também poderá ser utilizada para o rádio digital de forma que novos tipos de radiodifusão possam ter espaço para emergir.
O DRM está homologado pela ITU para ser utilizado como o “único sistema mundial de rádio digital terrestre para qualquer frequência entre 0 e 174 Mhz”. Portanto, o DRM já está pronto e é o único sistema digital permitido para ser utilizado nas “possíveis” novas faixas de rádio, como a já sugerida faixa estendida de VHF – “eFM” (76 a 88 Mhz).

Geopolítica

A nova geopolítica global, com importância crescente dos países em desenvolvimento, novos eixos econômicos, vitalidade das expressões culturais e criativas e inevitabilidade das interligações planetárias, exige do Estado brasileiro uma posição de independência e pioneirismo, criando os meios necessários para que se construam as infraestruturas técnica a serem adotadas no sentido de uma contribuição para a construção desta nova geopolítica. A comunicação aparece como eixo central neste movimento.
Assim como aconteceu no processo de adoção do sistema de TV Digital, espera-se que a América do Sul apoie-se no Brasil para suas decisões nacionais. Com isso, espera-se do país responsabilidade politica e coerência com os processos de integração continental.
As recentes “leis de meios” aprovadas por países como Uruguai, Bolívia e Argentina mostram um esforço para uma utilização mais coerente do espectro eletromagnético e uma atenção para as políticas públicas no panorama das comunicações. Indicação esta que pesa na decisão brasileira de adotar um sistema que contemple as complexidades sociais, geográficas e demográficas do Brasil, porém com vistas a uma realidade maior que é a da integração do continente sulamericano.
Atualmente, com o debate em torno do novo marco regulatório das comunicações no Brasil, abre-se espaço para a discussão, por exemplo, da destinação dos canais 2 a 4 da TV analógica (após o apagão analógico em 2016) para a radiodifusão digital, fato que possibilita uma nova utilização pela sociedade do meio rádio. Este debate é de fundamental importância para uma reinvenção geopolítica do rádio e para o estabelecimento de marcos políticos e legais que potencializem seus novos desenvolvimentos, utilizações e economias.
O HDRadio, por sua vez, foi concebido para contemplar uma realidade geográfica e sócio-econômica norte-americana que difere significativamente das necessidades políticas e legais para o rádio na América do Sul.

Cultura e Educação

Com os argumentos apresentados e considerando os extensivos testes com o DRM por parte do Ministério das Comunicações, Inmetro, Anatel, universidades e radiodifusores, acreditamos que este padrão não apresenta nenhuma deficiência com relação ao HDRadio. O DRM não limita as possibilidades de avanços nacionais do Sistema Brasileiro de Rádio Digital e oferece ampla gama de possibilidades para seu desenvolvimento nas várias esferas da sociedade.
Assina este texto a equipe DRM-Brasil - uma organização informal, sem fins lucrativos, para a qual todos os membros trabalham de forma voluntária, sem nenhum vínculo ou soldo proveniente do Consórcio DRM.

RODELÃO6970

TEMPO